Edge of Empire: New Dawn of the Republic

Relíquias da Força (parte 2)

O gênio e o Eremita.

Em busca de meios de se infiltrar no sistema de segurança de BARAB I, a VERITAS entra em contato com a dupla de freelances: Corin e Aexor. Corin é um gênio da tecnologia conhecido por escrever uma tese sobre a estação STARKILLER, onde defende a arma de destruição conhecida como ESTRELA DA MORTE, bem mais eficiente do que a atual arma, pelo uso dos cristais Kyber. Aexor é seu companheiro, uma amizade improvável que se provou útil para ambos. Contatados por um dos operativos da Veritas, Corin e Aexor são pagos para criar uma janela para entrada de um agente (Sakaar) na segurança de Barab, além de ajudar na infiltração do agente. Criando uma porta dos fundos, Aexor e Corin se preparam para a chegada do agente e a libertação de um prisioneiro de guerra.

Infiltração hostil

Com a chegada do agente Sakaar, a dupla agenda um encontro nas mediações das celas de contenção, Corin, como projetista do sistema de segurança se infiltra e desliga o alarme, mas se esquece de desligar as câmeras de segurança. Do lado de fora, Aexor oferece para uma Barabiana que fuja com ele, e com seu charme Zabraquiano, conquista a jovem Barabiana que corre apaixonada para a nave da dupla como novo membro da tripulação. Quando o segundo guarda retorna da escolta de Corin, ele questiona sobre a fuga de sua companheira e desconfiado inicia um conflito armado. Sakaar por sua vês aproveita a confusão e se infiltra invisível nas dependências, localizando seu alvo Antares Draco, que afirma buscar paz de espirito para suas frustrações. Chamando sua nave, Sakaar consegue extrair do local a dupla e escapar do sistema, deixando para trás a nave da dupla. Entretanto Corin, cria uma programação que permite acesso remoto com a espaçonave permitindo ela saltar para outro sistema, sendo operada remotamente de um controle.

Negociações

Sakaar conversa com Antares e revela que seu real objetivo é o artefato MANOPLAS DE HATER, por sua vez, Antares Draco diz não possuir interesse pelo artefato e que o trocaria por uma nave espacial e silencio sobre sua localização. Sakaar providencia uma nave cargueira para Antares e pede para que se faça um desvio para Onderon. Em sua residência ele recupera uma máscara que cobre seu rosto deformado durante o duelo contra Rudo Solaris, e um Robe preto, que cobre seu corpo e um sabre de luz. Guiado por uma visão Aexor decide seguir Antares, e com as negociações encerradas, Sakaar parte em busca das manoplas enquanto que Antares segue com Corin e Aexor para Daantoine, pois Antares reconhecido a sensitividade de Aexor o leva para Daantoine para conhecer aqueles que podem ensina-lo sobre a FORÇA melhor do que ele.

Ruínas Jedi

Ao chegar a Daantoine, o cargueiro YT-2000 e sua tripulação, se deparam com as ruínas do templo Jedi e uma área carregada de energia radioativa, exceto a área ao redor das ruinas. Aexor e sua “namorada” Barabiana seguem para as ruínas para investigar, mas sem perceber que existia um campo de força ativo em volta das ruínas, aproxima o cargueiro que sofre uma descarga de energia, recebendo danos graves. Corin e sua unidade BB-13, começam os reparos da nave, enquanto que Aexor procede para a exploração das ruínas. Dentro das ruínas, Aexor encontra sinais de batalha e salões da destruídos, dentre os itens de valor, Aexor descobre cinco livros esquecidos no chão das ruínas, além do último Kyber cristal e da arvore do templo morta, ao tocar na arvore, Aexor sente o último suspiro da árvore a morte final de um Nexus de poder. Sem poder mostrar luto, Aexor e sua “namorada” são atacados por criaturas que matam sua namorada com uma mordida fatal no pescoço, Aexor que inicia uma fuga é salvo por Antares Draco a pedido de Corin, em meio a luta, apenas três livros são preservados: Princípios de artes marciais Jedi por OBI WAN KENOBI, história da ordem Jedi por LUKE SKYWALKER e história da antiga república por Dawis Danthar. Através desses livros Aexor inicia seus estudos sobre a FORÇA.

Nunca faça acordos com Dragões

Sakaar viaja até Tatooine em busca do artefato que o leva até uma grande vila do POVO DA AREIA, evitando entrar em contato com esse povo, Sakaar faz um salto perigoso de sua nave até o ponto marcado por Antares, onde encontra uma grande caverna, repleta de ouro, joias e coisas valiosas. Furtivamente Sakaar se aproxima da caverna e percebe um DRAGÃO DE KRAYT dormindo, um altar, com uma mulher morta, e as manoplas que estavam sobre o corpo da mulher. Depois de extrair o artefato, quase saindo do alcance da ameaça do DRAGÃO DE KRAYT, Sakaar desperta o Dragão que o impede de fugir com o artefato, sem condições de enfrentar o dragão, Sakaar negocia algo de interesse do dragão, que diz ter despertado para servir um LORDE DOS SITH’s e que Sakaar deveria encontrar um SITH para que o dragão possa servi-lo. Concordando com os termos, Sakaar consegue a posse do artefato e um contrato com um dragão.

View
Após a Tempestade

Um recomeço para nova ordem Jedi.

Após o ataque da PRIMEIRA ORDEM em Daantoine, e a evacuação bem-sucedida dos Jedi’s a ordem aos poucos se recupera da memória da derrota e da perda daquilo que havia sido construído. Em Spintir um planeta forte com a força, escondido dos mapas de navegação em uma região bastante isolada da ORLA EXTERIOR, foi a escolha apropriada para a construção de uma nova casa para os Jedi’s. Longe do conhecimento comum e de olhos curiosos, a Ordem reconstrói um santuário para que os Jedi’s possam estudar e aprender sobre a FORÇA. No comando da nova ordem, substituindo LUKE SKYWALKER, está Dawis Danthar, que luta para manter os ideais pacíficos de Luke entre a filosofia pessoal de qualquer Jedi que vive em Spintir.

O círculo

Como uma das missões dos Jedi’s é proteger planetas filiados da República, passa a ser prioridade para os Jedi’s enviarem cavaleiros como protetores de sistemas específicos. Comenor Adama, mestre Jedi, é designado para ONDERON, planeta estimado pelo Jedi, onde vive seu filho e lar de sua falecida esposa Sasha Adama. Além dessa missão, Comenor foi designado para recriar um círculo, um espaço da ordem jedi, designado para fazer previsões sobre o futuro da ordem e da galáxia, composto de poderosos jedi’s oraculares, o círculo se forma coma participação de Alana Arkan, uma recente ordenada Jedi com uma poderosa conexão na FORÇA, além de Deena Danthar, mais conhecida como Q’Anilla e muitos outros sensitivos reprovados no teste de cavaleiros designados para o círculo, foram designados também protetores para o círculo: Sarenda e o sentinela Wime Trekken que opera como investigador. Como primeiro trabalho para o círculo, o grupo consegue prever a chegada de uma grande ameaça para a galáxia, um poderoso sensitivo capaz de pôr um fim na NOVA ORDEM JEDI e na NOVA REPÚBLICA, um homem mascarado, com um braço biônico, e carregando um sabre de luz dourado. Para investigar melhor a previsão, Alana e o Wime partem para Ilum com a missão de descobrir mais evidências sobre a previsão.

Perdidos no Espaço

A disputa entre codinome “Starkiller” e o suposto novo “Mandalore” se acirra e para se evitar uma guerra civil capaz de encerrar a linhagem mandaloriana, Starkiller a bordo de sua estação espacial Satine, junto dos refugiados Mandalorianos que o seguem saem em busca de um novo lar para os refugiados. Depois de meses à procura, e tentativas fúteis de negociar locais de assentamento em território Hutt, Starkiller procura ajuda e recebe uma proposta de Harl Adama, que permite o assentamento dos Mandalorianos em Dxun, uma das luas que orbitam o sistema de Onderon, em troca, como garantia contra um ataque mandaloriano, codinome “Starkiller” lhe entregaria os códigos de acesso ao comando de sua estação Satine. Após firmar o acordo, os refugiados entram sobre proteção do governador interino de Onderon Harl Adama. E starkiller decide desafiar o novo Mandalore para um duelo, a fim de reivindicar sua posição de direito entre os Mandalorianos.

Alvorecer da nova República

LEIA ORGANA, líder da RESISTÊNCIA viaja a Spintir para uma conversar com o grande mestre Dawis e conhecer parte do legado deixado por seu irmão LUKE SKYWALKER, alguns dias depois conhecendo o templo e os futuros Jedi’s, LEIA ORGANA explica que uma aliança foi forjada para a reconstrução da nova república, e que os senadores sobreviventes concordaram em se unir a resistência, apoiando o grupo como sua força militar oficial. Forjada a aliança e o senado rejeitado a lei de desarmamento de Mon Mothma, os senadores reúnem generais experientes para lutar contra a PRIMEIRA ORDEM, e para completar o quadro, LEIA pede a Dawis para que seja cedido ao serviço militar alguns Jedi’s que possam servir como generais na batalha contra a campanha de expansão da primeira ordem. O grande mestre então concorda sobre o acordo que os Jedi’s assumiriam seu papel ancestral dentro da república e nomeia seu mestre de batalhas: Drakul Segundo e Rudo Solaris como generais Jedi, além de Kanaan Jarus para comandar duas das cinco frotas reunidas da aliança resistência/república. Como agora nomeada Chanceler suprema da NOVA REPÚBLICA, dois cavaleiros Jedi’s: Zannos e Deakar são enviados como protetores da Chanceler para sua cerimônia de nomeação.

View
Relíquias da Força
parte I

Dupla localização

Com a ajuda dos membros da VERITAS, Sakaar consegue pistas sobre a localização de dois artefatos da força. O primeiro estaria em Ilum, planeta sagrado dos Jedis, cuja localização foi negociada com G0-T0, e o outro artefato estaria na possa de Antares Draco, prisioneiro de guerra detido no planeta BARAB I. Com a posse da localização de Ilum, Sakaar salta para Ilum em busca do artefato.

Reunião

Chegando e Ilum, Sakaar percebe uma nave categoria capitania, pousada na entrada do templo, e tentando trespassar a grande muralha de gelo que separa o santuário dois aprendizes PADAWAN’s; Deakar e Zaanos, gêmeos que recebem treinamento de Sarenda, desde a fundação oficial da NOVA ORDEM JEDI. No local Sakaar também nota a presença do mestre jedi Shom-Ron, que conduz o ritual sagrado. Esperando uma oportunidade para descobrir como entrar no templo, Sakaar espera horas, até que os Padawan’s descobrem que apenas o uso da força permite a entrada. Aproveitando a oportunidade e estando invisível, Sakaar adentra o templo, e lá espera por Shom-Ron explicar que a reunião é o teste para um Padawan conseguir encontrar seus cristais da alma, artefato indispensável para a criação de um sabre de luz e que apenas aqueles dignos sairão do templo carregando um. Após as instruções e esperado a partida de Deaker e Zaanos, Sakaar é sentido por Shom-Ron, que lhe permite a entrada a pedido dos cavaleiros de Ferro.

A profecia da praga

A pedido dos cavaleiros de Ferro, Sakaar adentra na casa dos cavaleiros e é questionado sobre seu interesse nos artefatos. Sakaar alega estar coletando para manter o equilíbrio, e é a visado que ele teria um papel importante na criação de um vírus que poderia destruir todos os sensitivos e que ele teria que escolher entre manter o vírus ou destruí-lo. Após negociar com os cavaleiros de Ferro, eles lhe confiam a localização do artefato chamado LÁGRIMAS DE NABOO e parte para extrair o artefato.

O teste

Deakar é testado por do combate e consegue vencer seu demônio interior com grande habilidade e treinamento na disciplina MAKASHI, já seu irmão Zannos recebe o teste do conhecimento, onde é testado sobre sabedoria e conhecimento do código JEDI. 11 horas depois os PADAWAN’s retornam de posse de seus cristais e com uma previsão de que devem seguir Sakaar.

O resgate da lágrima

Autorizados a participar de uma festa, Deakar, Zannos e Sakaar entram no palácio de Naboo, e se separam em busca de pistas sobre o artefato, Descoberta sua localização, Deakar e Zannos servem de distração e enquanto Sakaar segue para extração do artefato. Sakaar consegue chegar até a sala do trono e furtar a lágrima, mais é ferido por TROPAS DA TEMPESTADE, que o atinge Sakaar mesmo estando invisível. Após a extração, Sakaar deixa Naboo para trás.

A batalha contra o Inquisidor

Deakar e Zannos tentam enganar o general Hux, mais são descobertos pelo inquisidor, acreditando que o inquisidor fosse capaz de lidar com Padawan’s deixa o Hangar e segue para a festa a fim de não notarem sua ausência. Dentro do hangar, um duelo se inicia entre os Padawan’s e o inquisidor que se revela uma Coreliana. Após um duelo violento entre os aprendizes e a inquisidora, os Padawan’s emergem vitoriosos.

Cavaleiros da Nova República

De volta a Spintir, Deakar e Zannos são nomeados cavaleiros após o ritual de iniciação e agora estão preparados para servir a república como protetores da paz e da justiça na galáxia…

View
A Tragédia no Templo dos Jedi
Star Wars: New Dawn of the Republic

Resultado do Ataque

Após a evacuação bem-sucedida de Daantoine, pelo portal que em seguida foi destruído, os Jedis sobreviventes chegam em segurança e se acomodam como podem em Spintir. Sem muitas baixas a ordem Jedi sobrevive a seu expurgo para viver mais um dia. Entretanto o ataque sorrateiro, permitiu que os cruzadores Barabianos que evacuavam os civis do planeta junto ao ataque nuclear, erradicou boa parte da vida civil no planeta, eliminado inclusive o lar ancestral das nobres famílias Matale e Sandral, fazendas que vivem próxima ao templo Jedi. Um luto profundo se instaura entre os poucos e combalidos Jedi, especialmente Shom-Ron, que nasceu e prometeu proteger Daantoine. Com a derrota da frota da primeira Ordem, pelas mãos dos cruzadores espaciais de Chandrilla, Daantoine se torna um planeta sobre proteção de Chandrilla que apoia a brava resistência de Leia Organa e agora decide se aliar a Nova república. Para ajudar nos esforços de restauração do planeta, Chandrilla convoca os Ithorianos, que também assinam sua aliança a Nova República.

A que da Grande Mestre

No dia seguinte, os Jedis pela força sentem a morte de seu herdeiro e grande mestre da Ordem, Luke Skywalker. Nesse momento de tragédia e duplo luto, o conselho Jedi composto de Klatoo, Comenor Adama, Dawis Danthar, Kanaan Jarus, Ashoka Tano e Belandi Feear. No meio da discussão, todos os membros são surpreendidos pela presença do ex-mestre da mestra Dipa Billaba, de Kanaan, Mace. Mace Windu se apresenta como verdadeiro herdeiro, e inicia uma acirrada disputa entre Mace Windu e Dawis Danthar, ambos nomeados para o Grande mestre. Essa disputa iria decidir o futuro da Ordem Jedi, militarização da Ordem (como nos tempos da velha da república e guerras clônicas ou desmilitarização, que ocorreu após a grande guerra sith). Sem uma resposta definitiva, Dawis Danthar é eleito novo grande mestre provisoriamente.

O grande chamado

Através da Força, os Jedi tomam conhecimento de Jedha, um planeja ancestral com forte presença da Força. Para investigar o chamado, Shom-Ron, Dawis, Comenor e Harl Adama, que ajuda nos esforços para estabilizar Daantoine foram designados para investigar o planeta, há muito apagado dos mapas de navegação.

A resistência em Jedha

Em Jedha, os heróis encontram uma célula da resistência protegendo uma ruina que seria o local que Luke Skywalker formou sua primeira Nova Ordem Jedi, que foi expurgada por Kylo Ren e seus subordinados Rens. Também foi encontrado no local uma jovem estranhamente poderosa na Força: Alana Arkan. Percebendo que as forças da Primeira Ordem estão evacuando o planeta, os heróis aliados da célula da resistência criam um plano de ataque para libertar o planeta da influência da primeira ordem, Dawis comandando as forças de terrestres, elimina a pouca resistência e captura o comandante interino da primeira ordem, Conde Jallaya. Na estação espacial Shom-Ron convence os técnicos responsáveis a entregarem os códigos do exército droide que estava sendo construído para substituir os Stormtroopers no planeta. De posse da estação espacial e do exército droide, os espólios de combate são divididos entre Ordem Jedi a o protetor do planeta Telos, Harl Adama.

O novo templo Jedi

Dois meses se passam, após esses infelizes incidentes, com o dinheiro levantado do último conflito, Shom-Ron constrói um templo em sem autorização do conselho um templo idêntico ao antigo templo em Coruscant em Spintir, visto que Daantoine, com exceção do templo jedi protegido pelas defesas, estava registrando atividade radioativa. Nesse meio tempo, a reunião foi convocada por Shom-Ron que leva os Younglings a Ilum na intenção de construírem seus primeiros sabres de luz e assim serem designados para treino sobre orientação de mestres e cavaleiros. No meio disso Hunter Narek, Jao Vos e Noobi, realizam seu teste de cavalaria, devido a seus grandes feitos na batalha de Daantoine, e são nomeados Cavaleiros da Nova república.

View
Dantooine Sitiada
O Destino Sombrio da Ordem

Sunrinder ao seguir algumas das pistas para o Vale Jedi encontra uma rota ao famoso planeta de Chandrila, ao ser gradativamente esquecido com o afastamento de Mon Mothma e com boatos diversos sobre Leia estar guerreando por motivos pessoais contra os servos de seu pai, o planeta expandiu sua visão política e aos poucos estabeleceu uma politica federativa de total democracia direta sem representantes.

Lá o povo se organiza e se protege contra a Primeira Ordem, a quem chamam de viúva do Império e contra o que chamam de “burocracia” da república, apesar de contar com boas relações com ela.

Depois da morte de Mon Mothma e de um sistema inteiro pelas mãos de Starkiller, um memorial foi erguido com registos do ocorrido. Ao que ele descobre, a população local expulsou os últimos membros da juventude Imperial que queriam recrutar ou sequestrar pessoas para Primeira Ordem.

Depois de uma passagem pela estalagem local ele descobre que o antigo palácio de Chandrila, era um nexos de poder Jedi. Que hoje é guardado para a proteção de vários holocrons. Esse centro é o núcleo de debate da agência do “auto governo” de medidas contra o “governo baixo”, fatores de decisão sobre como o planeta se gerencia sem um único líder central.

Não é permitida a entrada de ninguém que não seja oficialmente tido como de boa reputação entre os moradores de Chandrila. O Toydarian que é quem passa mais tempo aqui diz que eles tentam passar o conhecimento a todos, mas recentemente um Togarian perigoso esta no planeta, recebendo dinheiro diretamente de Lord Hentrir para conseguir a força o que seus discípulos não puderam.

Shom-rom se exponhe como Jedi, e com isso é rapidamente bem visto graças às famílias de Barabels que acreditam piamente da justiça dos Jedi e os Nikto que afirmam que ele foi um dos homens que capturou Lord Hentir. Shorom explica que se eles
nomeassem um representante poderiam ter apoio da República, eles replicam que não veem que uma só pessoa poderia ser o representante, mas antes se possa pensar em um meio termo o Togorian, que parece desprezar os aspectos de fala de todos ali e acreditando que esse tipo de organização é perda de tempo, começa a falar e dizer que vivia com a família em Mustafa antes de ter o planeta todo destruído pela República. Ele explica que ele mesmo quase não sobreviveu ao ataque.

Shorom toma para si a autoria do fato e nisso se deixa ser atacado pelo Togorian,

Togorian_head.jpg

Ele diz se chamar Stirgie, Shom-ron por pouco não morre com o ataque da garrada do adversário, ele nota que há um grande poder da força imbuindo as habilidades do inimigo.

Cambaleando com muito esforço, o defensor Soresu retorna a sua nave para se tratar e se recuperar em um tanque de bacta. Sho-rom se recupera e depois encontra em Chandrilla também o motivo de sua chegada, um antigo túmulo de um dos antigos heróis Jedi: o barsen’thor…

Lá ele encontra Tahhakoi, o Toydarian arqueólogo na biblioteca que foi construída ali. Um lugar cheio de informações que fazem Shorom pensar que talvez os Jedi tenham criado os moldes morais da república e não ela se uniu aos Jedi. O guardião do lugar é um pequeno sensitivo da Força e lê a mente de Shorom instintivamente e descreve que o Togorian busca também o Vale dos Jedi, assim como é isso que Lord Henthrir quer.

Na verdade Lord Henthrir não sabe que é isso que esta procurando, ou sobre o túmulo, ele apenas enviou um mercenário que ele sabia odiar a República para tentar interceptar a saída de Sho-rom e descobrir o que o Jedi esta procurando.

O herói de Dantoonie sem conseguir saber que informações foram extraídas de sua mente e quais eram por fatores externos e boatos ouvidos na cidade , pelo simples fato de não perguntar, Sho-rom se foca em avisar o conselho Jedi que achou mais um usuário da Força. Porém durante a conversa sente que o pequenino ainda não esta pronto.

Mais tarde ele se reencontra com o seu agressor e sugere que ele venha ver com seus próprios olhos o trabalho da república e esse aceita mediante um pagamento. Ainda há muito ressentimento nele, porém ao ver a forma pacifica que seu “carrasco Jedi” reagiu, ele se sente levemente balançado.

Enquanto isso…

Hulla Cavulla explica os detalhes de sua volta, ele comenta que as investigações no submundo levaram a crer que o Ilusive Man, homem que matou sua família esta na verdade no planeta e que a única informação é que talvez ele seja um Moff.

Durante muito tempo, até agora, ele estava tentando lidar com isso sozinho, mas resolveu finalmente falar com Dawis sobre o assunto. Shom-ron inclusive retorna com Stigie e seus auxiliares na missão…

Por conta disso Dawis convoca o Conselho para que possam debater sobre isso, curiosamente assim que a presença do tal Ilusive Man é revelada, o mesmo surge em painéis ameaçando com uma imensa frota o planeta. Os planos de evacuação usados da última vez em que uma ameaça em grande porte foi prevista são utilizados, só que dessa vez as naves de evacuação são abatidas.

Quem quer que seja o Ilusive Man conhecia esse plano… Três Star Destroyers são vistos na órbita do planeta, naves se preparam para o ataque. Sem muitas opções os Jedi decidem por um plano de evacuação via portais.

Apenas Shom-ron e Dawis ficam com um pequeno contingente para segurar o ataque. No momento que ambos tentam pedir ajuda e não conseguem, com isso tentam usar a Força para perceber quem sabotou as comunicações apenas para descobrir que quem quer que seja é imune a qualquer detecção da Força, porém os objetos que foram tocados revelam alguém deliberadamente encaixando equipamentos que confundem a detecção muito parecidos com os que o Rakatta usou junto de Darth Jar Jar.

Nessa hora, Shom-ron e Dawis são atacados por uma nuvem de gás e imagens ilusórias. Apesar dessa investida do lado sombria, o inimigo não contava com a maestria no uso da Força de Dawis e o fato do mesmo estar preparado para enfrentar um inimigo hábil em Misdirect devido ao que houve com o caso do General Kylo Katarn.

O discípulo de Niman consegue impedir o pior e perceber a presença de Proxy, que os ataca diretamente. Ambos depois de uma rápida luta o derrotam, graças ao uso da Força para puxar de dentro dele o cristal, que nessa hora ambos veem que é sintético e não um kyber.

Dawis suspeita que o cristal tenha sido trocado durante a ida de Proxy a Coruscant, porém a verdade é bem pior. Proxy era um droíde criado por Darth Vader para simular habilidades de combate de vários Jedi e assim treinar seu aprendiz secreto Galen Malec, o androide foi uma criação pervertida feita com partes do que sobrou da antiga câmara de meditação de Naga Sadow, ele abandonado em Ilum justamente caso um dia os Jedi conseguissem reativar os antigos Guerreiros de Ferro. Ele reativou sua programação pouco antes disso, se tornando um notório criminoso tomando contra de pequenos negócios que sua programação lhe indicava de atividades ligadas ao império caído, entre essas ações estava no caminho a família de Hulla. O que explica porque no “julgamento” de Starkiller as imagens do Sentinela clonado blefando para a Primeira Ordem foram postas para Conselho como falas sinceras de desprezo para com a visão jedi da Força, dessa forma piorando muito a situação dele para com outros jedi.

Sem que o grupo percebesse naquele momento Proxy, o Illusive man, estava destruído…

Em seguida um ataque começa, Shom-Ron resolve arrumar e colocar o que descobriu dos equipamentos de camuflagem e proteção pela Força do primeiro Basen´thor. Alguns breves momentos segurando as tropas da Primeira Ordem com ajuda dos Titans, Dawis pede que eles instintivamente que eles retornem…

E nessa hora os cavaleiros de ferro que foram para Telos e outros locais de emergência Jedi retiram os últimos antes que o ataque ocorra. Ao abandonar o lugar eles não veem quando as tropas de Chandrilla que seguiram Shom-ron com medo que Stirgie tivesse levado alguma informação à Primeira Ordem. Eles chegam e pegam os Star Destroyers de surpresa e nem sequer ficam sabendo como a Primeira Ordem foi derrotada.

O planeta então fica sobre os cuidados da organização federativa de Chandrilla, devido a total falta de comunicação, se tornando parte do mesmo grupo que controla Chandrilla, a Ordem migra sua base central e debates sobre ela começam a acontecer…

View
Segredos
O Segredo de Lando

Uma reunião entre Starkiller e Lando Calrisian aquecem as relações de ambos em Nar Shadda e faz com que Starkiller, no mundo pirata, torne a situação com Lando delicada, ao negar entregar a ele as contas que um dia pertenceram ao Lorde Sidius.
Ainda tentando passar despercebido em Nar Shadda, Starkiller acaba por conhecer uma vidente protegida pelas organizações locais, Madame Mimi, uma Miriliana e também descobre o recrutamento de oficiais para uma missão “diferente” e sigilosa da Primeira Ordem, comandada por Johann Eclipse.
Shom-Ron é nomeado Mestre, após a formação de Rudo, o padawan com problemas pulmonares após o atentado à Ordem Jedi. Em seguida, antes que pudesse iniciar suas funções, um pedido de socorro vindo de uma nave de Dantooine o leva a investigar uma abordagem pirata no espaço e um furto de frutas únicas e exóticas, cultivadas a partir das sementes de Pandora, um ano atrás, agora especiarias do planeta. Ele descobre que os tais piratas teriam rumado para Nar Shadda.

O Segredo do Hutt

Ao sair da Cantina em Nar Shadda, Starkiller percebe a presença de um Hutt e um pirata, ambos com suas companhias de segurança, conversando sobre um dos itens que sobrou do tesouro de Grakkus o Hutt. Starkiller segue-os invisível, até o momento em que Shom-Ron abre comunicação com ele e, involuntariamente, sua comunicação é percebida. Shom-Ron tem uma previsão e avisa Starkiller sobre um possível ataque pelas costas que realmente acontece, realizado por um misterioso Twi’Lek sorridente, praticamente histérico, dotado de dois sabres de luz.
A confusão os revela e atrai os tiros das duas companhias e dois dos magnaguardas do Hutt. Com um improviso, Starkiller entra em um prédio e consegue voar em seguida, manobrando e deixando o agressor para trás e os tiros longe do alcance.

O Segredo de Boc Aseca

Shom-Ron chega a Nar Shadda, para seguir o rastro do contato com Starkiller e o encontra sobre um prédio pequeno de Nar Shadda, no bairro, ferido. Ambos são abordados pelo Twi’Lek que se revela Boc Aseca. Entre ilusões e conversa entre os dois grupos, as ameaças cessam e Boc Aseca convence-os de que não é um sith e que é tudo um mal entendido. Em acordos, eles trocam informações, já que Boc Aseca gostaria de saber sobre o companheiro morto na nave Galática, meses atrás, enquanto Shom-Ron queria informações sobre o misterioso grupo, que parecia contar com um miraluka em suas fileiras.
Ambos os grupos deixam Nar Shadda e seguem no pensamento de um encontro com o tal Twi’lek, para investigar e descobrir exatamente o que ele queria e o que isso poderia ter a ver com a Primeira Ordem.

O Segredo de Socorro

Ambos rumam para o planeta de encontro de Boc, Socorro. O planeta, cercado por oito naves piratas e duas fragatas modificadas, pertencentes à Primeira Ordem, faziam o receio do por quê da presença dos mesmos. Uma torre isolada da cidadela capital de Socorro era lar de Boc Aseca, com mais magnaguardas e outros autômatos dos tempos das Guerras Clônicas como moradores.
Boc recebe anfitriosamente Shom-Ron enquanto uma gravação é transmitida para a nave com Jão e Starkiller, que se preparam para o pior, que não vem. Uma proposta de aliança é feita por Boc, que se identifica claramente Jedi da equipe de exploração de Jerec. Shom-Ron nega aliança e oferece a Boc e seus companheiros que conheçam Dantooine e se reportem ao conselho Jedi. O caso se encerra e Shom-Ron retorna pacificamente para a nave, para se prepararem.
Meditando através da Força sobre o Assunto, Shom-Ron percebe que, em duas horas, piratas chegariam com um item de escolha de Boc, requerido aos piratas, em troca de ouro, que o levaria a uma tumba, abaixo da torre, com segredos que o fizeram escolher o planeta como base. Starkiller revela ao senado, em reunião, parte das contas de Palpatine, em promessa de distribuir entre a República o valor.

O Segredo dos Jedi

Starkiller e Shom-Ron se preparam, entram em contato com o Conselho Jedi a respeito da situação, planejam e decidem por uma abordagem de colaboração.
Descendo anunciados, ambos se colocam nas mãos de Boc Aseca, como se dividindo os espólios e o conhecimento, em um acordo de ajuda mútua pela cortesia e para ingressão junto à Ordem Jedi atual.
Os piratas, liderados pelo feeoni Capitão Rav, trazem uma chave de pedra, em troca de um baú de ouro, contratado por Boc. Eles sabem que vários outros piratas famosos, como o quarren Capitão Olho de Vidro e o Capitão Peste Negra, trabalham para Boc, assim como outros não nomeados.
Com a chave em mãos e os piratas dispensados, Boc chama seus novos aliados e, juntos, seguem para o túmulo de pedra abaixo da torre. Nele, o corpo do Mestre Jedi Qu Rahn repousa, com um holocron. Boc apanha o holocron e entrega para que, firmando aliança, ele e os amigos abram ao mesmo tempo. É nesse instante que Starkiller percebe que Boc não consegue abrir o holocron e espera a ajuda dos dois jedi para o fazer, por sua corrupção impedi-lo. Um alerta silencioso e Shom-Ron tem uma visão instantânea de que, com o holocron em mãos, Boc eliminaria os dois e seguiria com os segredos do artefato, capturando a essência de Mestre Qu Rahn em um cristal sintético. Juntos, eles golpeiam Boc de surpresa e um novo combate se inicia, no qual Boc perde sua mão direita e sua visão.
Com Boc capturado, Shom-Ron e Starkiller retornam a Dantooine, onde Starkiller segue para Barab I, para continuar com a solução da guerra civil do planeta e Shom-Ron aguarda o fim da reunião do Conselho Jedi, para que votem sua proposta sobre a Corporação de Exploração Jedi de Planetas da Galáxia.

View
Guerra Ritual
O canto do Sultão Demônio

Depois do retorno de Shom-Rom de Nar Shardda, uma reunião que seria para comemorar a nova nomeação do Cavaleiro Drakul para o título de Mestre é interrompida por uma estranha notícia. Ao que parece a prisioneira de Guerra Rillao Hethrir havia sido transferida para justamente a capital dessa cidade há algumas semanas sobre custódia onde ela conseguiria o julgamento pela Primeira Ordem em Kintan.

A dupla cidadania tanto dela quanto do marido foi conseguida no período em que havia um acordo de paz antes do ataque da Starkiller, o que favoreceu o esquema dela de postergar seu julgamento.

Uma revolta começou em Nar Shadda com o anúncio da adesão do planeta a primeira Ordem, o que deixou os Senadores em um debate frenético e a pensaram em pedir ao Embaixador para amenizar a situação, de imediato Dawins alegou que nenhum apelo de reconhecimento da legitimidade da Primeira Ordem deveria ser feito e os políticos não chegaram a comentar o nível do problema para não dar mais destaque à Niek, o líder da revolução Nikto e tentar resolver isso por via da República.

Depois de um longo debate decidiram que prisioneira deveria ir para Onderon, onde de lá ficaria decidido o seu destino. Para isso estabelecem uma rota de fuga, prevista por Comenor Adama como a mais segura possível, nessa mesma visão ele vê Rashir nesse planeta conversando com um influente Hut sobre ele poder ressuscitar o Sol deles.

O Chamado de Waru-Pomojema

Depois de um longo debate e da rápida nomeação de Shom-Rom para iniciar-se como explorador e de Drakul como mestre e a visão de Rashir. O mestre contra as artes da Trevas Comenor decide entrar em contato com a joia trazida para o Enclave, tendo que várias partes dela são usadas em sabres de luz como troféus, Comenor Adamo se vê face a face com a entidade por trás dos poderes da joia. Ele transfere a comunhão com o ser para Dawis e em seguida para os dois outros Jedi: Shom-Rom e Drakul.

A medonha entidade trás desconforto e medo a todos, que resistem por sua disciplina com a força, ao ponto de Shorom e Drakul sequer se considerarem falando com ele. Drakul é o que menos sente tal medo.

Em meio à uma estranha indiferença, a entidade volta-se para eles e explica alguns detalhes de sua libertação dizendo que Rashir iria acender o Coração de Deus, depois de ter ascendido M’dweshuu. Ambos são o irmão e pai de Waru-Pomojema, coisa que ele não explica profundamente, ele fala sobre o quanto todos ali lhe são insignificantes e Dawis afirma que mesmo assim irão detê-lo. Seu semblante não muda em nada, apenas fica feliz que os cristais onde ele habita ainda são usados pelos Jedi.

Depois da comunicação com a divindade, o cristal perde o poder.

A Rebelião dos Nikto

Dawis entra em contato com Niek e todos que estão com ele escutam ele dizer que Rashir é o responsável, uma revolta geral começa. Nesse momento Niktos avisam seus aliados, parentes e amigos em Kitan, que começam uma revolta contra o templo onde Rashir e algumas três bruxas de Dantomir ficam temporariamente cercadas. Nesse momento um pequeno grupo de Stormtroopers entra em escolta de Lord Hethrir que lhe dá cobertura para escapar e ir terminar seu ritual no final da Rota da Morte.

Niek com apoio do Sindicato Pike esta à frente da revogação do acordo milenar que faz de sua espécie e da dos Klatooinians e Vodrans escravos dos Hut. Através da religião solar de seu planeta, acordos entre trabalhadores rebeldes e libertados além mercenários ele organizou uma revolta cuja origem não esta ainda muito clara. Ao que parece a revolta exige também a adesão à República ou autonomia, mas de forma alguma aceitação dos interesses escusos do Império.

Os pedidos de apoio aos Jedi em união com a revolta iniciada são bem acolhidos por Dawis, que enquanto vai para Nar Sharda medita e seu aluno começa a ler um livro de rituais para ver identifica o que esta acontecendo sob o competente leme de Harl Adamo. Enquanto eles decidem pela estratégia de dividir o grupo em dois dirigindo um para falar com um Hut parente de Hero em Nar Shardda e outro vai diretamente para Kintan, onde Rillao Hethrir iria ser julgada.

Roth, the Hut

Roth, o primo de Heero via na República uma chance de ter mais lucros do que com a primeira Ordem e é convencido disso ainda mais quando Harl e Dawis lhe explicam as vantagens econômicas de “alugar pessoas”, como ele chama.

Eles ainda explicam sobre revenda, troca e tantas outras coisas sobre as quais ele poderia lutar e o Hutt se compromete a defender tal ideia entre outros Hutt.

A Batalha do espírito

Superando as limitações entre o tempo e espaço impostas aos alheios a força, Comenor tenta interromper o ritual de dentro da nave enquanto seu mestre e seu irmão conversam com o Hutt. Ao se lembram de como Shom-Rom purificou a filha de Telos ele decide fazer o mesmo com a mãe, se usando também do cristal de seu próprio sabre como foco e de muito do conhecimento sobre alquimia Sith que ele traduziu para alcança-la, tal ato é bastante intenso porém a Força o acompanha. Ele realmente avança em direção bastante controversa, rompendo correntes sombrias que a prendia e a libertando para Força.

  • Enquanto isso*

Shom-Rom e Drakul assumem a velha parceria em um ataque frontal contra as forças da Primeira Ordem, a batalha dura algum tempo e são ajudados diretamente por uma revolta de toda população de Niktos que parecem inspirador por Niek que alertou e espalhou sobre a traição de Rashir e sua parceria com membros da Primeira Ordem.

Em meio a destruição da guerra, Lord Hethrir espera paciente no templo enquanto conversa com seu Deus. A dupla de guerreiros enfrenta a juventude imperial, uma tropa de jovens aprendizes recém chamados para treinar na escola de Hethrir.

A tropa é liderada por Desan e sua aprendiz. Eles são derrotados facilmente na investida dos Jedi até o templo.

Comenor Adama ao salvar a entidade tem por revelação o local onde se encontra Rashir e seu ritual, ele desmaia sendo amparado por Dawis para que algo pior não aconteça. Harl Adama então pilota pela rota que ele viu e passou para eles pelo Caminho da Morte de forma impensada e rápida indo de encontro ao núcleo da Estação Espacial e atacando com todas as armas possíveis.

Dawis até tenta amenizar os danos, mas é impossível, dezenas (se não centenas) de vidas são ceifadas, tanto com os ataques diretos quanto com a destruição dos escombros que caem sobre a estação. Vários soldados de Rashir, as bruxas de Danthomir, escravos, engenheiros e turistas desavisados morrem sem que nada possa ser feito, o lugar vira uma carnificina e Rashir acuado foge para um bunker abaixo do templo de Waru-Pomojema.

Dawis tentando poupar pelo menos a vida de Rashir e Adamo concordando com isso o deixa descer, ele é acompanhado por Cade Warner.

A Revolução de Kintan

Shom-Rom e Drakul invadem a Igreja depois de saberem que são esperados por Lord Hethrir, ao ver a calma do Dark Jedi Shom-Rom passa a achar que o mestre deles é quem vai ser sacrificado.

Através de uma manobra ousada apoiada pelo Destino e de uma previsão da Força eles rapidamente derrotam o Lorde. Alguns Troopers são mortos pelos seus próprios disparos refletidos pela habilidade de Shor-Rom, enquanto o Jedi sombrio tem suas mãos decepadas pelas espadas de Drakull. Ele até pensa em cura-lo, mas se lembra que ele é capaz de regenerar. Ao sair Shor-Rom liga para seu mestre em um momento inoportuno para esse falar com o líder dos Nikto.

Morte em Família

Depois de um ataque devastador Dawis e seu primeiro padawan chegam ate a um túnel, onde sentem a presença de Rashir. Esse aproveita a ligação de Shor-Rom e ataca Dawis, quase o pegando de surpresa, Cade fica nas costas do Zaltron aguardando a ordem de seu mestre para atacar.

Enquanto se defende da fúria fanática de Rashir, Dawis ainda com pequenos gestos coordena que Cade não ataque, que espere. Shor-rom, baseado no que foi falado sobre o ritual de poder dos sóis, acredita que o ser puro a ser sacrificado pela adaga seria o próprio Dawis.

Em meio a batalha, Dawis desarma várias vezes Rashir e em uma delas, Cade tenta pegar a adaga por um comando do Miraluka, porém na disputa sobre quem segurava a arma o Zeltron segura a arma mais forte e perfura o garoto no meio do diafragma, que acaba falecendo ali.

Em seguida Rashir tenta se matar, desesperadamente, ao que parece era seu plano desde o início.

Consumido por uma imensa culpa , que quase se transforma em fúria, Dawis ataca e tenta vencer lutando contra seus instintos para não matar Rashir. Ele vence o criminoso e chega a seu aluno que ainda se despede dele dizendo que sente que cumpriu seu papel. O paragorn tenta anima-lo e dizer que ainda não é hora, porém é tarde demais para isso…

Epílogo

-Rillao e Lord Hethrir são levados para Orderon, até que todos procedimentos sobre seu julgamento possam ser resolvidos e esse iniciado.

-Harl Adama leva sob custódia Rashir para Orderon onde será julgado pelo próprio povo de Telos. Iniciando todos preparativos para que esse julgamento seja de quem mais foi prejudicado pelas ações do Zaltron.

-Dawis recebe de Comenor um manto Jedi para cobrir o corpo do garoto. Durante o funeral vários Jedi em simbolo colocam seus mantos sobre ele. Mais tarde ao enterrar o corpo do rapaz na tumba de Naga Sadow

-Shor-Rom prepara sua viagem de exploração atrás do Vale Jedi

-Comenor torna mais íntima sua ligação com Telos.

-Os Niktos se libertam da influência dos Hutt e prometem negociar uma aliança com a República.

-Uma pequena e fraca chama começa a se ascender dentro do Coração de Deus no território Hutt.

View
Operação Escaldante
Um fim para Mustafar

Após o debate ocorrido sobre o que seria feito do Stardestroyer interceptado em Lothal, ficou ao cargo do General da República, Starkiller, conduzir o danificado veículo, cheio de bombas nucleares, rumo a Mustafar, ponto de controle da Primeira Ordem.
Com a decisão tomada em Telos, Starkiller procura Shom-Ron Sunrider, antes da partida, para saber se ele estava bem, depois de quase morrer. Shom-Ron, que foi tratado por Mestre Belandi e pela recém-proclamada cavaleira Jedi Adália, em gratidão, oferece analisar a armadura de Starkiller e percebe que seria difícil conseguir melhorias nela, embora pudesse tentar produzir uma igual, com unorbtânium.
Ao entrar em contato com Lando Calrisian a respeito de Mustafar, Starkiller recebe instruções para um novo contato com ele, que dava a entender que havia mais em jogo do que ele imaginava. Com tal situação em mente, o clone de Galen Marek informa Shom-Ron, Belandi e Adália e pede a companhia deles e da Ordem Jedi para retornar com vida da explosão do Star Destroyer em Mustafar. Eles entram em contato com o Enclave Jedi. Shom-Ron solicita autorização para ir, a presença de Sarenda e o uso dos Cavaleiros de Ferro e Kanan Jarrus concorda em enviá-los, junto de Drakul, os padawans deles e Tarast, pedindo que voltem depressa.
Duas naves partem dentro do Star Destroyer, junto de várias bombas nucleares, suficientes para arrasar um planeta pequeno.

Missões dentro da missão

Durante a viagem, Tarast informa Shom-Ron que há uma missão dentro da missão. Ao invés de apenas explodirem a Primeira Ordem e saírem, ele diz que a Ordem Jedi quer libertar os relatos que ele descobriu sobre os centros imperiais ainda estarem ativos sob o controle da Ordem, com crianças prisioneiras sendo treinadas para futuros inquisidores Ren. Se possível, resgatar as crianças e impedir que morressem nas explosões.
Em negociações com Lando Calrisian, Starkiller descobre o preço de Lando pelo resgate: um baú perdido anos atrás, de uma nave particular do falecido imperador Palpatine. Lando também oferece recursos pela morte de um concorrente ex-separatista, Dean Dellson e pela captura de patentes antigas das empresas Mensix Corp, de Mustafar.
Informações dentro do Star Destroyer são trocadas e um plano é traçado por Shom-Ron: um vírus de looping de informações. Embora não pudessem acessar os sistemas e códigos do Star Destroyer, o vírus atuava com a comunicação iniciada, de modo a quem iniciasse o contato recebesse as informações que possuía armazenadas em seu próprio sistema, como uma réplica que mascarava o sistema.
A viagem prossegue com todos ocupados entre si e se dividindo para embarcarem nas naves menores e abandonar o navio rumo à destruição.

Explosão Galática

Contato estabelecido e vírus em posta, Starkiller usa-se de seus poderes ilusórios e suporte de Shom-Ron em sua armadura Stormtrooper, para conseguir um pouso no hangar da Primeira Ordem em busca de reparos, usando-se do nome de Dean Dellson, do qual tentaram esquivar.
Tarast percebe a presença de uma nave Ren no hangar e Noob prevê que, se demorarem, haverá um problema. Divididos, eles partem urgente em suas naves e lançam o Star Destroyer, confiando na surpresa. O impacto de todas as armas nucleares adentra Mustafar e inicia um colapso de lava junto com as inúmeras explosões nucleares que se seguem. Com habilidade, Noob e Jao retiram as naves do alcance dos cogumelos e da chuva radiativa, além das erupções cataclísmicas iniciadas no planeta de magma. A Primeira Ordem presente e todas as cidades no arco de Mustafar Norte e um pedaço do centro de encontro norte-sul são vaporizadas de imediato. Os demais efeitos nucleares se iniciam, enquanto as naves correm em desespero aos pontos isolados que precisam ir.
Seguindo as coordenadas do baú que garantiria uma retirada, as naves encontram uma pequena plataforma de metal aparentemente flutuando nos rios de lava, protegida por um membro da guarda pessoal do imperador.
Shom-Ron decide a abordagem pacífica, seguido por Drakul e um relutante Starkiller, enquanto Tarast pede que ele e os demais possam ir atrás das crianças antes que o planeta colapse completamente ou que a chuva radiativa chegue até elas.
Ao vencer o que parecia ser a armadura animada, sozinha, os três encontram uma passagem para cavernas no interior do planeta, superaquecidas pelo revolver do magma da superfície, para encontrar um bunker secreto do falecido Imperador Palpatine, aberto por Starkiller. Em seu interior, pertences de Darth Sidius, entre eles, o tão procurado baú e algo mais.

Dilema cósmico

Assim que aqueles sensitivos mais ligados à Força Vivente penetram no bunker, vozes os chamam, clamando por ajuda, ecoando do baú. Nele, um talismã de alquimia sith e uma adaga ritualística da raça ancestral. Já Shom-Ron, mais voltado à Força Cósmica, se direciona a um estranho cubo que, em seus estudos de relíquias pelo templo Jedi, reconhece como o Cubo de Chun-Gon Dar.
Criado pelo Mestre Jedi de mesmo nome, eras atrás, o cubo é capaz de realizar qualquer coisa, literalmente alterando a realidade através da Força. A seu possuidor, não há limites. Exceto a responsabilidade moral por seus atos…
Enquanto um dilema e conclusões a respeito da presença do cubo surgem, Drakul é possuído pelo talismã e inicia um ataque mental contra Starkiller e Shom-Ron. A situação segue até Drakul resistir ao poder e quebrar o amuleto, enquanto Shom-Ron cumpre parte de seu destino, destruindo o cubo, corrompido e usado por Darth Sidius. A explosão revela que era o cubo que ainda mantinha o bunker e Mustafar estável. Com sua destruição e com o cataclisma das bombas nucleares em andamento, a situação do planeta se agrava e, usando-se do portal criado por Shom-Ron, eles voltam a Telos. Conforme indicado pelo conselho, um Cavaleiro de Ferro foi capaz de resistir ao uso do portal sem danos, por não possuir um corpo físico real, garantindo assim o uso constante do portal.

Trapaceando o Trapaceiro

Uma vez distantes dos demais, os comunicadores tocam com a impressão de possível morte. Os cavaleiros e padawans em missão, assustados, ouvem sobre Telos e informam que estão ainda no planeta, em resgate das crianças, sofrendo uma perseguição.
Em um ato de coragem, o portal é reaberto e Drakul, Shom-Ron e Starkiller penetram no que parecem ser instalações em choque, com lava e chuva cáustica do lado de fora, com crianças sofrendo queimaduras e o esforço máximo de Tarast, Sarenda, Adália, Jao, Nina e Noob em salvar cerca de vinte e seis infantes. Os três assumem a defesa da fuga, contra ninguém menos que o Cavaleiro de Ren apenas conhecido ainda como Rogue.
Drakul bloqueia um uso da Força do mesmo e é arremessado para dentro do portal. Curioso, Rogue se aproxima e é vítima de ilusões de Starkiller e de arremesso de sabre de luz por Shom-Ron, que o faz desaparecer. Shom-Ron prevê a ação dele e assim consegue desferir um golpe surpresa, que o faz recuar. Starkiller reforça o recuo, enquanto Drakul recebe e começa a curar, com Belandi, os feridos. Assim que todos passam, o portal é fechado, antes de Rogue ter a chance de examiná-lo e garantindo a fuga de todos.

Ajuste de contas

Com comandos automáticos, ambas as naves são chamadas de volta para Telos, enquanto Starkiller, de posse do baú, percebe que se tratam das riquezas pessoais do falecido Imperador Palpatine. Embora ele deixe uma parte para Lando Calrisian, ele divide outra com os dois cavaleiros Jedi e uma para com a República, tomando a maior parte do valor e todas as contas paradas, para si. A Ordem Jedi recebe as notícias dos jovens e das crianças e, no escuro, a Primeira Ordem segue com sua segunda derrota pesada na Orla Exterior, marcando um período de Nova Esperança para as áreas remotas da Galáxia.

View
Papéis a desempenhar
O Destino através da Força

Preparos para um novo amanhecer

Estável, Dantooine passou a ser unificada pelo seu próprio povo, dada a presença dos humanos terráqueos, na verdade chamados “americanos”, liderados pelo “americano”, o agora senador dos Estados Unidos de Dantooine. Acompanhado de seu sobrinho texano, o jovem John Blake MacKein, que tem aprendido a defender o bom povo de Dantooine enquanto treina a ser um ótimo atirador.
Com o novo senador eleito, além das mudanças recentes, uma nova reunião do Senado da República foi convocada, para que todas as amenidades fossem classificadas.
No Enclave Jedi, Drakul, Embaixador da República, dedicava parte do seu tempo em curar os feridos do atentado contra a Ordem, ao mesmo tempo que dividia suas responsabilidades como Mestre de Noob. A pedido de Shom-Ron, entre sua possível partida para Ahch-To, Jao, padawan de Shom-Ron, ficou aos seus cuidados e, juntos, dividiram treinamentos com o sabre de luz.
Com aptidões muito semelhantes – e um momento de treinamento que lembrava muito o de Drakul e Shom-Ron meses atrás aos olhos do zabrak, os dois pareciam melhorar em seus progressos físicos, mas acima, nos mentais, em paz e sem o domínio de suas emoções.
Sarenda se apresenta aos padawans enquanto acompanha o treinamento dos dois, puxando admiração, embora menor que aquelas que Drakul e Shom-Ron pareciam puxar de seus respectivos alunos. Ela informa a Drakul que seguirá com sua companhia para a reunião, a pedido do Conselho, substituindo Shom-Ron, devido a riscos nas negociações possíveis.
Drakul pega um tempo para si, enquanto decide observar novamente o quadro dos internados, apenas para sentir consciência surgir na menina internada nos tubos, após suas constantes tentativas de tratar dela e do Chiss. Entretanto, Vex nada percebe. Supondo que a recuperação da menina tenha ligações com suas habilidades de cura ampliadas no Enclave pelo cristal kaibur trazido da estátua do Pomojema, Drakul tenta liberá-la dos equipamentos e arrisca uma cura, com resultados divergentes. Embora desperte, a jovem vomita algo que ainda precisa ser analisado, enquanto é colocada novamente em aparelhos, mas desta vez, sem a necessidade do bacta e sim para medição posterior, uma vez que recuperada. Ainda assim, ela parece não ter nenhuma recordação.
Jao nega receber de Sarenda um sabre, por alegar esperar algo que seja realmente de seu mestre, apenas para uma mensagem ser acionada e ele saber que o sabre é realmente seu. Mesmo assim, o jovem padawan decide guardar o sabre, até que veja pessoalmente seu mestre ou se sinta pronto para usar algo pronto como o sabre que recebeu.
Ainda acompanhando Drakul e meditando fora dos momentos presentes com o mesmo, Noob continuava a se dedicar constantemente a meditar, a exemplo dos ensinamentos Jedi recebidos, contribuindo com sua disciplina e compreensão da Força.
Unidos a Drakul e Sarenda, Jao e Noob viajaram na nave embaixadora, ao lado da nave particular de Dantooine do Senador Americano, Mance Mac Windu, sobrevivente do evento conhecido como “Caravana da Coragem” e idealizador da unificação dos fazendeiros de Dantooine e seus estados-fazenda, rumo ao encontro do Senado da República.

Emaranhado político

No senado, Drakul descobre o grande trabalho que é ser Embaixador, enquanto é apresentado aos senadores, sendo que, alguns deles, também em sua primeira reunião oficial após empossados. Em uma revisão, são eles: a Senadora e Rainha de Onderon, Katniss Everdeen; o Senador e veterano de guerra Mandaloriano Janx Taivuu (também conhecido por Janx Skullcrusher); o Senador de Bespin e Ven, Lando Calrisian; o Senador de Duros, Zildane Keg; a Senadora e Princesa de Barab I, Rose Dana; o Senador e autoproclamado “Rei” de Gand, Varik Fallwen; o Senador de Mon Calamari e herói da Resistência, Solomon Calamari; o “Americano” e sobrevivente da “Caravana da Coragem” e da Viagem ao Desconhecido, Senador de Dantooine, Mance Mac Windu; e a Senadora e Herdeira de Ryloth, a twi’lek veterana Hera Syndulla.
Ao lado de Drakul, Sarenda, Noob e Jao acompanham a reunião, junto dos respectivos acompanhantes dos senadores, entre eles, John Blake MacKein. O primeiro ato de votação, sobre a sede da República, por quatro anos, conforme o acordo de Mon Motma elege Onderon, por cinco votos (Onderon, Mandalor, Barab I, Mon Calamari e o voto do Embaixador Drakul, requisitado a opinar), contra dois votos de Bespin (Bespin, Gand), dois votos de Dantooine (Dantooine, Duros) e um voto por Ryloth (Ryloth).
Como segundo ponto votado, os senadores questionam a lealdade do General Starkiller, por rumar as tropas para uma direção oposta da votada, que é Barab I. Devido às estripulias diplomáticas, o cargo continua nas mãos do mesmo, embora Lando e Varik procurem meios para se comunicar com as tropas e seu general, na esperança de reportes exatos e imediatos, para explicações e uma oportunidade de fazer o certo, encerrar a guerra civil de Barab I.
O terceiro ponto levantado foi quanto a minar as forças de influência da Primeira Ordem na Orla Exterior, questionando alvos como Hoth e Jakku, até chegar no ponto escolhido para uma futura intervenção assim que os problemas de Barab I forem resolvidos: Lothal, centro de comunicações da Primeira Ordem nas Fronteiras.
Um quarto ponto levantado foi o da aliança de mundos aparentemente aversos à República por conta de consequências recentes, como Kashyyyk e Burnin Kronn, sendo o primeiro como desonra a Sarenda e o segundo como perda devido à presença Jedi. Drakul levanta a possibilidade de visitação aos dois mundos, em esperança de, futuramente, reacender acordos junto aos mesmos, seja por ele ou por membros não-Jedi escolhidos pelo senado, após avaliar cada caso, futuramente.
A situação militar da Nova República foi questionada, após levante de possíveis aliados, como Teth, negarem por medo de nenhuma proteção. Os senadores levantaram a oportunidade de, com um embaixador Zabrak, a tentativa de anexar Iridônia às fileiras, enquanto outros levantaram a importância de contatar e talvez aliar Artoria e seu exército, embora em busca de paz, à República. Drakul assentiu certificar-se de visitar ambos.
Finalmente, os senadores apresentaram a negligência da Ordem Jedi quanto à propaganda de que são terroristas e de como isso tem prejudicado a imagem da Ordem e da própria República em formação, além do fato dos Jedi não auxiliarem em casos pequenos, como resolução contra criminalidade nos setores dos planetas da República, questão que Drakul diz que irá apresentar ao Conselho Jedi e que trará respostas significativas em favor da República.
Em meio às negociações, os jovens padawans Noob e Jao discutiam entre si poucas vezes, sempre acerca de seus futuros deveres, tanto diplomatica quanto pacificadoramente.
John Blake MacKein manteve-se com Mance Mac Windu, embora atento a cada senador e suas motivações, ainda que pouco tenha realmente percebido.
Sarenda permaneceu silenciosa durante toda a reunião.

Misteriosa emboscada

Encerrada a reunião, comemorações foram realizadas em Onderon, pela vitória de comportar o Senado. Durante elas, acordos internos dos planetas pareceram se formar, enquanto os planos pareciam florescer em favor de uma possível nova era.
Ao fim das comemorações, além de alguns questionamentos por parte dos senadores, Drakul, Noob, Jao e Sarenda decidiram por partir para o primeiro planeta possível para negociações. Curioso sobre como funcionava o trabalho do Embaixador e no interesse de formar laços comerciais para com Dantooine, no interesse da iniciativa “americana”, John Blake MacKein pediu permissão para se unir a eles, sabendo que voltariam a Dantooine depois.
Uma nova viagem é realizada rumo Iridônia e, durante o caminho, uma preocupação de Noob quanto à viagem o leva a ter um pressentimento pela Força, que o avisa de uma armadilha de naves, possível, na chegada às coordenadas. Assim, Noob decide não parar a nave e tentar ajustar as coordenadas de hiperespaço, com precisão, evitando três naves negras menores e muito mais ágeis. Com habilidade, ele contorna as naves, dando oportunidade para que Jão e John Blake MacKein possam bombardea-las e salvar a nave, que segue na direção de Iridônia, sem saber origem ou fonte do ataque.

Zelo pelos seus

Na órbita de Iridônia, um Zabrak inicia sua chamada para a nave, requisitando informações, para se surpreender com a presença de Drakul, outro zabrak, se identificando como Jedi e Embaixador da Nova República. A curiosidade faz com que ele seja permitido atracar na cidade de Wolan, onde todos são recebidos pelos zabrak. Perguntas por parte dos nativos sobre o Jedi começam, se ele pertence a uma de suas ex-colônias, por que representa a República, seus interesses, como assim Ordem Jedi e quem eram seus companheiros e por quê.
De forma diplomática, os Jedi conseguem uma reunião com o Conselho Regente do planeta.
Enquanto esperam sobre o conselho, Sarenda e Drakul sentem um mal intenso em um ponto do planeta e Sarenda decide levar John Blake com ela para investigar, enquanto Drakul se prepara para a tal reunião. Jao começa a explorar, com permissão, o prédio e a abastecer as energias na ótima comida de paladar agradável da culinária zabrak, enquanto Noob medita sobre sua visão e vê um velho zabrak branco, ao lado de um zabrak vermelho com pinturas negras, em um diálogo estranho sobre precisarem somente de um deles, sendo os demais “dispensáveis”. Drakul tenta ajudar e ensinar o aluno sobre o poder da Força de previsão, explicando mais sobre sua ligação com a Força Cósmica.
Enquanto isso, Sarenda, guiada por sua sensação ruim, encontra um selado templo Sith abandonado, protegido por guardas do planeta, entre estátuas que os nativos chamam de “lembrança de vergonha”, entre as quais estátuas recentes, de um zabrak com um sabre de luz duplo, de inscrição “Maul”. Enquanto a Jedi perde-se em suas possíveis conclusões, John Blake percebe que, furtivamente, um grupo com máscaras faciais purificadoras de ar começava a cercá-los. Ciente da ameaça, ele puxa a jovem e inicia uma tentativa de fuga, antes que notem que foram percebidos. Juntos, eles armam uma emboscada para os vilões antes que ataquem.
Enquanto isso, no prédio do Alto Conselho de Iridônia, notícias mostram sobre a holonet e bloqueios de comunicação, enquanto preparos são servidos, com trajes e instruções para a reunião. Quando o momento chega, apenas Drakul pode entrar a câmara sagrada, por ser um zabrak e um embaixador, deixando Jao e Noob do lado de fora, no corredor, com a sala trancada atrás deles.
Uma discussão se inicia, sobre o por quê de se unirem à República, uma vez que esta foi destruída pela Base Starkiller e a atual é apenas uma paródia disforme de poucos planetas, sem poderio militar ou capacidade de sustentação, sem recursos adequados ou aptidão. Drakul se vira bem contra as etiquetas, conseguindo ser ouvido ao apresentar argumentos sólidos que atiçam a curiosidade mais que a lógica dos anciões, que também questionam se sua presença, enquanto Jedi, teria a ver com cobrá-los pelas atuações do Zabrak Maul entre tropas Mandalorianas. Os zabrak deixam claro que não há demonstração da Nova República que justificasse motivos de unir tropas, mesmo com uma guerra iminente, uma vez que eles estariam abrindo mãos de soldados de seu próprio planeta, para pintar um alvo em suas testas, sem nenhuma garantia de apoio significativa. Eles também questionam a existência de uma Nova Ordem Jedi, uma vez que outras outrora foram profanadas por ações questionáveis.
A discussão segue, enquanto Sarenda descobre que os comunicadores se limitam apenas às entradas da câmara do Alto Conselho, mas não dentro da mesma, na tentativa de avisar que mais um cerco se fazia ao redor do prédio, por mais homens de máscaras, com veículos.
Sua mensagem, entretanto, chega tarde. Já notados no andar superior, em tentativa de serem furtivos, os agressores sabiam que Noob e Jao não seriam simplesmente sobrepujados. De sabres de treino em punho, os dois padawans se preparavam para garantir que, sejam quem fossem, não iriam causar mal a ninguém naquele prédio.
Uma bomba de fumaça química é liberada contra os padawans, mas não antes da mesma ser rebatida por Jao. Contudo, ela era apenas um aspersor incendiário para uma sequência de tiros que causam explosões contínuas dentro do corredor, deixando Noob inconsciente. Jao tenta imitar os movimentos de seu mestre, na esperança de proteger o corpo do companheiro desmaiado e, ao perceber que não é tão eficiente quanto o mesmo, decide confiar na Força e arromba a porta da sala do Alto Conselho, na esperança de que o ataque seja percebido.
Assim que a porta é estourada, os anciões zabrak vêm a queda do padawan câmara proibida adentro, enquanto o fogo o segue, nas constantes explosões. Drakul puxa Noob para dentro da câmara enquanto tenta acalmar os anciões, mas sem muito tempo para que apenas as palavras resolvessem, pois seis atacantes começam a invadir a sala, mascarados, com armas em punho, atirando e causando mais explosões que são desviadas pelo Embaixador.
Jao sente um chamado da Força junto dele mesmo, o lembrando do presente de Shom-Ron, Jao apanha a hilt recebida, para constatar que esta tem um cristal em seu interior! O seu cristal. De posse da arma, ele primeiro atira com a mesma, instintivamente, para se defender e aos zabraks dentro da câmara, enquanto Drakul os golpeia cinéticamente. Ainda assim, as explosões continuam como resultado dos disparos, que prosseguem sendo disparados.
Do lado de fora, Sarenda investe contra o cerco ao prédio, com cobertura pelos tiros de John Blake. A habilidade dos dois juntos começa a dominar a entrada do prédio e força vários inimigos a recuarem. Mesmo assim, cerca de sete inimigos são derrubados e mantidos sob a custódia de Iridônia.
Na câmara do senado, Jao parte para o combate corpo-a-corpo, enquanto Noob recobra aos poucos a consciência e Drakul continua a desarmar telecineticamente os inimigos, até que o último deles, ao perceber que seriam rendidos, aciona uma granada de mão que, em contato com o gás químico, inicia uma explosão antes mesmo de ser arremessada. Ciente de que todos morreriam, Drakul usa-se da Força para afastar Jao e o ancião mais próximo, usando-se dos objetos da câmara como alavancas, para absorver sozinho o impacto da explosão, com seu próprio corpo.
Diante dos Anciões Regentes, ele quase se sacrifica por todos, sobrevivendo ao impacto por pouco. Antes que o terrorista termine de morrer entre queimaduras, Drakul intercede através da Força, mantendo-o vivo o suficiente para ser rendido pelo seu sabre, para que seja feita justiça.
Noob acalma os anciões, admirados com o sacrifício físico e com a habilidade dos Jedi em preservar suas vidas, no edifício que consideravam o mais seguro do planeta. Com os prisioneiros rendidos, eles pedem mais dias da presença do Embaixador e de seus companheiros, enquanto inicia-se uma investigação sobre os terroristas e a confirmação de que nem os Jedi, nem a Nova República estavam envolvidos, ou trouxeram o atentado.
Com a inocência comprovada e o ato de sacrifício pelas vidas dos regentes, eles concordam em tentar evitar que conflitos piores cheguem até seu mundo e que a guerra se estenda, oferecendo o apoio à Nova República, desde que tenham o apoio dos Jedi e a garantia da presença de Drakul retornando a Iridônia, como zabrak que é, para que possam ter a representação de Maul aliviada na forma de um defensor confirmado.
A visão de Noob, porém, fica incerta, enquanto Drakul e apenas Drakul é tratado por representantes dos Laboratórios Farmacêuticos KAHMF. Curiosamente, apenas Drakul recebe tais tratamentos, o que não surpreende aos demais, já que este é o único zabrak entre eles e estava com os anciões. Mas seria apenas isso?

Ponderações finais

Com a aparente vitória em mãos, sem conseguir lidar com a presença do Lado Negro sentida, que acreditam ser resultante do templo Sith, os Jedi e John Blake MacKein retornam a Dantooine, enquanto Drakul procura a Ordem Jedi para relatar sobre os últimos acontecimentos. Sua curiosidade, uma vez no Enclave, entretanto, é encontrar-se com a desmemoriada menina, que, embora debilitada, se recupera significativamente bem, ainda que não exista uma análise final do que ela expeliu, seja por Vex, Dantari ou Drakul.
Com pesar em não conseguir confiar em suas habilidades de combate, Noob decide continuar os treinamentos com afinco, na esperança de ser mais capaz de se defender, enquanto Jao continua em pesquisar os movimentos do estilo de seu mestre, Shom-Ron, com intenção de ser orgulho a ele e seguir seus passos, como um protetor de vidas.
Com sucesso em negociar com alguns Zabrak e fazer contatos, John Blake MacKein retorna ao Senador Americano de Dantooine, Mance Mac Windu, decidido a se tornar um grande xerife entre as Fronteiras, auxiliando os Jedi e as vidas presentes tanto em Dantooine, quanto no restante da Orla Exterior, no papel que acredita ter nascido para ser seu.
Incerta de alguns fatos, Sarenda retira-se para meditar, aguardando instruções do Conselho, enquanto reflete sobre o segredo ensinado a ela por Shom-Ron, em particular. Nas horas vagas, observa os treinamentos do padawan do jovem Sunrider, na esperança de ver sua holoimagem pelo comunicador do garoto e saber se ele está bem.

View
Experimentando Conexões
Nexos

Um olhar sobre o ontem

Durante os momentos que antecederam aos iniciais do Atentado à Ordem Jedi, Harl Adama compareceu ao Enclave, para ver seu irmão, Comenor Adama, ao receber o chamado para ajudar na evacuação após a visão de Shom-Ron.
Durante sua estadia, Harl viu Starkiller e um outro homem de robe, indistinguível, mas considerou algo normal, ao ver os Jedi com robes e Starkiller ser um deles.
Os eventos do ataque ocorreram simultaneamente ao hackeamento dos dados, aparentemente encomendados pelo Rakata que foi deixado em estudos, revelaram-se maiores do que antes expostos.
Segundo os dados, uma influência havia também enganado mais sinais.
Enquanto toda a confusão acontecia, algo mais sinistro, envolvendo outro membro da Ordem Jedi, se desenrolava.
Antes do começo das explosões, Comenor Adama, em meditação junto à Árvore Nahiri, buscando conhecimento e equilíbrio de suas emoções, ficou em colapso cosntante, quase como um ataque epilético, sem ser notado, devido aos eventos.
As batalhas decorreram em solo e nos céus, como Harl Adama viria a relatar posteriormente, evitando que mais tropas entrassem no solo de Dantooine.
Quando a confusão acabou com a partida de Dawis e depois com a busca de Shom-Ron e Drakul, Harl Adama trouxe as pessoas de volta, evacuadas, após ter derrubado algumas naves menores dos lordes que serviam a Waru-Pomojema, na verdade, enganados e manipulados.Ao retornarem, Dawis, Shom-Ron e os demais Jedi notaram a falta de Anki’Nar, quando encontram Comenor, em seu estado crítico.
Levado até a enfermaria, aos cuiddos de Drakul, Comenor parecia envolto em uma proteção criada através da Força, que exigiu investigação dos envolvidos sobre o ocorrido. Curiosamente, o último lugar em que Shom-Ron encontrou Anki’Nar foi na árvore Nahiri, no templo.Ao pesquisarem mais a respeito, vem a revelação da presença de Mesa Bek, dentro do templo, acompanhado de um diferente Starkiller, que se uniram a Anki’Nar em uma busca e apreensão de alguns artefatos sith contidos no Enclave, em salas secretas e que suprimem a Força, como o holocron de Naga Sadow e o sabre de luz de Palpatine. Nos vídeos, fica claro o ataque deles contra Comenor, que protegia um livro de alquimia sith, ainda confiado a ele para codificação de modo que outros não compreendessem e enlouquecessem com seu uso. As imagens mostravam a revelação de que Anki’Nar era um bruxo Vos infiltado entre a Ordem Jedi desde o começo e que a “visão” de Jolee Bindo tratava-se de ilusão.

Situação entre irmãos

Assim que recebeu as notícias sobre o ocorrido com Comenor, Harl Adama retornou para Dantooine, mas com uma surpresa.A bordo da Battlestar Galática, o corpo encontrado da irmã miraluka de Dawis, Deena Danthar, inconsciente, após ser resgatada, segundo Harl, do interior do planeta, na forma de um Rakghul.
Ambos, Deena e Comenor, foram colocados na enfermaria, enquanto Dawis e Harl tentavam compreender a situação de seus entes queridos. Uma sondagem mental revelava que Deena estava bem e um pedido sobre um planeta nas regiões desconhecidas. Como tal informação veio a ela, ou o que ela vivenciou enquanto em Telos, são perguntas sem respostas ainda.
Durante o tempo em que Dawis e Harl se preocupavam com seus familiares, Shom-Ron decidiu voltar-se para meditar na árvore Nahiri. Ao fazê-lo, uma nova visão de Foresee o revelava sobre criaturas da Força, compostas de pura energia, como a menina vista em Telos, além de uma sucesso de eventos envolvendo o retorno de possíveis grandes males.
Entretanto, investigar a Força acionam armadilhas, deixadas por Jar Jar Binks, durante o tempo em que se passava pelo Senador Mesa Bek, inclusive na árvore Nahiri, que quase é destruída. Em contato com a consciência da própria árvore, nossos heróis conseguem bloquear a influência maligna usando dois cristais presentes nos pertences de Comenor, como receptáculos, para depois deixar a árvore aos cuidados de cura da Ordem.
Ainda, Harl e Dawis conversam com Antares Draco, sobre sua situação, trazendo finalmente a ele a proposta de treinamento para ser o defensor de Onderon, Destino que lhe é de direito. Antares o aceita com prontidão, após uma longa conversa sobre os ideais de sua honra e sua casa.Mariah, irmã de Antares, entrega uma mensagem de socorro captada em algum lugar de Ventooine, na rota das regiões desconhecidas a partir de Telos.
Apresentando as questões sobre o planeta, além das semelhanças das visões e criaturas, Harl Adama solicita apoio Jedi, que de bom grado é atendido, pois o interesse da Ordem existia pelo antigo templo Jedi em Telos. Para ele, Belinda, cavaleira Jedi, é enviada para Telos, na companhia de Kathracite, Cavaleiro de Ferro, na esperança de proteger e começar uma restauração do templo Jedi.
Retornando à consciência momentaneamente, Comenor Adama comenta sobre os itens levados poderem ser parte de um ritual, mas que Mesa Bek havia ignorado ele, embora quisesse seu livro de alquimias para o mesmo fim. Conferindo os vídeos uma segunda vez, é possível ver o jovem Starkiller diferente retirar um cristal kyber branco do Enclave, aparentemente para uso pessoal.
Comenor e Deena são deixados aos cuidados de Drakul e Vex, junto dos demais feridos, ainda em recuperação, que segue rápida, auxiliada pela presença do artefato da Força curativo, o Cristal Kaiburr, trazido da estátua do Pomojema.

O interior da trama

Com uma passagem por Telos, os personagens detectam a saída das naves contendo algo misterioso, que provavelmente coincide com o bebê da Força visto por Shom-Ron. Cientes da rota para Ventooine, o grupo, que apenas passava por Telos para abastecer a Galática ao máximo e levar naves reservas, como aconselhado por Comenor por sua visão oracular, parte para Ventooine.
Disputado no passado tanto por Jedi quanto por Sith, quanto por mineiradores em busca de soluções alternativas de poderio bélico, devido à gigantesca concentração de cristais kyber, antes também explorados pelos depostos monarcas Satabs, mortos por Han Solo em suas viagens passadas, Ventooine abrigava grande quantia de naves, tentando correr pela vantagem dos recursos.
Entre tais naves, o grupo se divide, para tentar encontrar novamente e seguir o contêiner onde está a menina bebê retirada de Telos, como mostrava a visão de Shom-Ron. Enquanto Shom-Ron segue ao atracadouro de Ventooine, Dawis e Harl Adama seguem atrás de outra nave possível, rumo ao desconhecido.
Em sua perseguição, Shom-Ron percebe a presença de mais um Starkiller, reforçando que há mais clones de Galen Marek. Ele tenta entrar em contato com Dawis e Harl, apenas para perceber que eles estão longe do seu alcance. Prosseguindo solitário, o cavaleiro Jedi de Dantooine encontra-se em uma infiltração dentro de uma nave maior, que parte rumo a um destino desconhecido no hiper-espaço, mas não antes que ele possa perceber a presença da bebê na nave. Ciente disso, Shom-Ron assume a responsabilidade por ela e penetra cada vez mais fundo, apenas para perceber que estava completamente cercado por Darth Maul, um jovem Starkiller e um distorcido e quase irreconhecível Anki’Nar, de posse da Espada Negra de Saga Sadow e de um poderoso cajado sith, capaz de conduzir terríveis energias do Lado Negro da Força.
Em uma rota diferente, Harl e Dawis, a bordo da Phantom, continuam a perseguição atrás da direção possível da nave, até as regiões desconhecidas, encontrando várias singularidades que pareciam encobrir o caminho, de modo falso, para o verdadeiro ponto onde o contêiner era levado, um misterioso planeta com incrível energia vivente. Todavia, em sua superfície, uma guerra gigantesca acontece, tornando a nave um alvo de tiros diversos. Igualmente, rompantes parecem suprimir momentaneamente a presença da Força em todo o lugar e potencializar suas ações em determinados picos de elevação.
Usando-se de suas habilidades como Mestre no estilo Soresu, SHom-Ron supera seus adversários com uma defesa praticamente impenetrável, impedindo que seus ataques lhe causem mal e alcança a câmara de contenção da bebê, sendo trancafiado com ela pelos adversários, entre cristais embaralhadores do uso da Força, apenas para descobrir que, como na visão, ela morria corrompida, aos poucos. Ciente que o processo era similar ao ocorrido em Dantooine com a árvore Nahiri, Shom-Ron sacrifica seu cristal kyber dantari para usar como conduíte para absorver as energias malignas que permeavam a criança da Força. Ao conseguir ajudá-la, ela o assume como aliado, à medida que conta procurar por sua avó, fala da morte de sua mãe nas mãos de Rashir e de seu pai, ainda no interior de Telos. A nave dos inimigos segue sua viagem até um planeta desconhecido, cercado por uma verdadeira zona de guerra, que torna a nave alvo de disparos e obriga Shom-Ron e a menina a saltarem em uma cápsula de fuga.

Seja aberta a caixa

Em uma manobra arriscada, Harl Adama coloca sua nave emparelhada com a nave que pertencia a Darth Maul, sem saber disso, conseguindo um pouso adequado para a situação. No solo do misterioso planeta, que não consta nos mapas galáticos, humanóides azuis gigantescos e aparentemente primitivos lutam com membros das forças que parecem servir aos sith, viajando em naves desconhecidas, naves mandalorianas renegadas, naves do antigo império sith de Palpatine e naves sem identificação.
Na saída da nave, Dawis, em um dos momentos de elevação da Força, percebe que o contêiner que seguem traz o misterioso Jedi aprisionado, em seu pedido de socorro. Ele parte para tentar salvar o mesmo, enquanto SHom-Ron avisa estar com a jovem, com as comunicações de curto alcance restauradas, pelas proximidades. Harl Adama transmite códigos morse, após muitas dificuldades em comunicação, para alcançar sua nave e pedir ajuda.
Igualmente, Dawis recebe uma transmissão de Hula Cavula, que o deixa mais que emocionado, embora controle suas expressões e mantenha seu foco em tentar salvar o prisioneiro Jedi.
Vislumbrando Anki’Nar em solo, Harl Adama começa uma ofensiva pesada contra o agressor de seu irmão e traidor infiltrado, com disparos pesados que o vilão evita de maneira sagás, abrindo espaço para que Harl, com a nave danificada, a sacrifique para tentar, em vão, derrubar seu oponente. Uma perseguição se inicia, com Harl Adama disparando contra o ferido e aparentemente acuado Anki’Nar, que tenta unir forças com mais protetores presentes entre os seus aliados malignos no solo do planeta.
Shom-Ron e a menina entram em contato com montanhas flutuantes no mundo misterioso, que parecem fazer parte do todo. Nelas, o chão começa a querer engolir a criança, que em determinado momento, desiste de sua vida para se unir à Força. Contudo, Shom-Ron não desiste dela e, usando-se de um segredo da Força que aprendera em Ahch-To em seu treinamento, bloqueia a energia da jovem e a puxa do aparente aprisionamento, salvando-a da emoção de desespero que transpassava, rumo ao solo do misterioso mundo. Ela então lembra-se que poderia ser sua avó e pede para que Shom-Ron a acompanhe e a proteja, iniciando assim uma exótica e mística jornada rumo ao centro do mundo.
No contêiner, Dawis acompanha pequenos transportes que parecem levar recursos do planeta, roubados pelos malignos invasores. Ele é atingido por uma flecha aleatória envenenada, mas resiste através de seu contato com a Força, nos momentos em que esta se mostra presente, enquanto se esforça para memorizar o que percebia nos momentos sem sua cegueira natural. Finalmente, ele encontra o contêiner, cercado por dois diferentes Starkillers, sobre uma montanha, junto de alguns Zabrak.
No interior do mundo novo, Shom-Ron encontra uma bela mulher, adulta, mas feita de pura energia, como a jovem que ele traz consigo. Ela explica a ele que o mundo deles vem sendo atacado por vários humanóides, alguns que sequer são deste universo ou galáxia, em busca de recursos como o poderoso metal composto pela Força, chamado Unobtainium. As explicações rudimentares sobre quem são, do que são feitas e como a avó pode ser a única capaz de ajudar a neta deixam claro a Shom-Ron a escolha certa em defender a menina. A criatura da Força entrega ao cavaleiro Jedi de Dantooine um cristal imbuído com a Força, através do Unobtainium, revelando propriedades únicas no metal, mesmo quando em contato com outras formas. Para ganhar tempo e impedir que os inimigos realizem o que desejam, que, percebido e entendido finalmente por Shom-Ron, é nada menos que reviver Naga Sadow, Palpatine e um antigo Jedi, que no passado, causou infortúnios a Naga Sadow. Os motivos ainda são incertos.
O planeta se abre para permitir a saída de Shom-Ron, ao mesmo tempo que o contêiner do velho Jedi é aberto por um idoso extremamente parecido com Starkiller, revelando em seu interior um cativo e torturado Kanan Jarrus.

Liberação

Shom-Ron protege um humano que se alia a ele, que defendia o planeta misterioso, dizendo-se ser “americano”. O homem, posteriormente, viria a contar uma história sobre uma Caravana de Coragem que lidava com pequenos ursos Ewokies e lamentava a morte de sua família. Ele ajuda Shom-Ron a entender que os vilões tem explorado o metal para tentar levar para fora do planeta, depois que todos os humanos que o invadiram foram dizimados ou se uniram à população nativa, literalmente se transformando na raça que chamam “Navi”.
Harl Adama encontra Anki’Nar, desta vez protegido por cinco usuários da Força, prontos a dar suas vidas para que ele termine.
Dawis e Kanan iniciam uma conversa após sua libertação, sem muito espaço para laços ditos, uma vez que um zabrak e um controlado idoso similar ao Starkiller partem para cima dos dois.
Shom-Ron parte para cima de um dos pontos que ele acredita ser central de um dos rituais, deixando o “americano” para trás.
Quando a situação parecia que se tornaria num inferno real, as naves de Hula Cavula, unidas às naves de Harl Adama e tropas de Solomon Calamari adentram o planeta misterioso, com coordenadas obtidas a partir das tentativas de comunicação, trazendo consigo dez Cavaleiros de Ferro, liderados por Proxy, além de padawans autorizados por seus mestres feridos Dao e Pon Edestus.
Unidos, os heróis e seus aliados se espalham para deter as invocações sith ao custo de sacrifícios de vidas inocentes e se utilizando do Nexo vivo de poder presente no mundo, chamado Pandora por seus habitantes.
Com muito esforço, em frentes de batalha distintas, cada um dos quatro pontos afetados – o centro do ritual, onde Anki’Nar usava-se de energias malignas do cajado de Naga Sadow para que os pontos fossem alcançados e o dono da Espada inteligente com ele retornasse, combatido por um enfurecido Harl Adama, cujos épicos disparos deram cabo da vida do traidor, depois de muito esforço, além dos três pontos: sobre a montanha flutuante, onde Naga Sadow ressurgiria, abaixo da montanha, onde Palpatine ressurgiria, e mais ao leste do ponto de parada das naves, onde o Jedi ressurgiria.
Confrontos maiores do que meras palavras se seguiram, dos quais os resultados foram a morte de muitos inocentes, mas o impedimento da ressurreição de Palpatine, que dependia da essência dos clones Starkiller, aparentemente ligadas ao antigo e falecido imperador. Contudo, a ressurreição de Naga Sadow aconteceu, de maneira bem diferente da prevista e, sem Anki’Nar vivo e com Darth Maul em fuga, após uma batalha contra Shom-Ron, revela-se como algo misterioso, já que o possível vilão não é encontrado. O mesmo acontece com o Jedi que Naga Sadow queria invocar, aparentemente com sucesso, mas sem sinais ou rastros.
Em miúdas, os heróis descobrem que o plano o tempo todo era influência do espírito de Naga Sadow, que seria revivido a partir da essência depositada em seu holocron, para absorver o poder de Palpatine ressurreto, enganando seus seguidores ainda vivos, para finalmente torturar o Jedi e, após o destruir ou corromper, drenar suas energias e voltar sua atenção para a Galáxia.
O mal de Naga Sadow permanece, pairando no ar.

Sementes de um futuro melhor

Com o fim da ameaça ao planeta, Oyá, nome da entidade feminina da Força, libera uma jovem adulta, pronta para retornar a Telos.
Dawis replanta, com um pouco de sacrifício, a maior árvore Nahiri que já viu antes, cujo segredo do crescimento é revelado ser o Unobtainium.
O velho Starkiller se revela ser irmão de Garen Malek, vivo desde o tempo do império, com sua família cativa em Balmorra. Ele insiste por ajuda para uma suicida invasão ao planeta, que não pode ser prometida. Assim, ele segue seu caminho sozinho pelo espaço, retomando posse de seus itens. Todos os artefatos Sith e Jedi deixados nos contêiners são recuperados, como os cristais embaralhadores, e levados para Dantooine.
O americano decide voltar com os heróis para Dantooine, enquanto que todos os demais encontrados, ao todo, seis, vivos em três naves estranhas na órbita do planeta, são conduzidos para Telos, onde auxiliarão a reconstrução do mundo. Oyá cede a todos os recursos que foram roubados dela, retirados, além de ceder uma quantia considerável de Unobtainium a Shom-Ron, em agredecimento pela proteção d sua neta.
Alguns Navi decidem voltar para Dantooine, onde plantarão uma muda da mesma árvore Nahiri e de seus frutos, que parecem brilhar no escuro, numa das partes do planeta. Um deles, sensitivo, foi acolhido na Ordem Jedi.
Nenhum clone Starkiller sobreviveu.
Os pedaços do cajado que pertencia a Anki’Nar foram divididos entre a Ordem Jedi e Harl Adama, para futuras pesquisas.
Ao chegar em Telos, a jovem se une novamente ao núcleo do planeta, levando consigo um cristal kyber do mundo de Oyá, chamado em comum pelo nome “Pandora”, para tentar curar seu pai, moribundo.
Vários pequenos cavaleiros de Ferro são condecorados e Dawis faz um imenso pedido de desculpas a todos, ao compará-los com mais prontos a ferimentos que os seres de carne macia, uma vez que seus corpos podem ser reconstruídos e possuem dureza maior, para que entendam que isso é uma vantagem, não um preconceito e que são vistos como iguais. Ele entrega a todos o suficiente para novos reparos.
Harl Adama entra em contato com os Ithorianos, para que retornem para Telos, assim como com os Onderonianos, para repovoar o planeta, tanto com fauna quanto com as pessoas evacuadas. Assim que a jovem penetra no subsolo, o planeta começa a se restruturar novamente.
O encontro familiar de Hula Cavula e Dawis os emociona e parece novamente formar uma aliança duradoura e a visão de uma projeção de Meetra Surik fora de seu holocron, auxiliada por Comenor e Solomon Calamari, se faz presente e insiste em conversar somente com Hula.
A espada de Naga Sadow some, flutuando pelo espaço, talvez segura pelo próprio lorde sith do passado. O jedi revivido não se revela.
Quase enlouquecido pelo seu cativeiro, Kanan Jarrus inicia sua própria reabilitação. Pelo tempo em que esteve preso e torturado pelos seguidores do Império, ele desenvolveu pela Força a habilidade de cura, que lhe restaurou a visão e permitiu que ele suportasse e regenerasse as feridas e sofrimento que lhe foram impostos. Ele se une ao Enclave Jedi, notícia que faz com que Ahsoka Tano retorne de seu auto-exílio por se questionar sobre o que foi feito a Starkiller.
Ao retornarem, Comenor Adama é indicado para os testes de Cavaleiro, Shom-Ron apanha o Unobtainium e se prepara para uma viagem de retiro para um lugar especial, nas forjas de Ahch-To. Harl Adama retorna para Telos, para acompanhar a reconstrução do planeta que adotou, enquanto Dawis entra em contato com Luke, depois de um Chamado da Força e se prepara para uma viagem desconhecida, rumo ao seu Destino, deixando sua inconsciente irmã para trás.

(Aventura narrada magistralmente por Dib Badauy, nosso Comenor Adama)

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.