Edge of Empire: New Dawn of the Republic

Operação Escaldante

Um fim para Mustafar

Após o debate ocorrido sobre o que seria feito do Stardestroyer interceptado em Lothal, ficou ao cargo do General da República, Starkiller, conduzir o danificado veículo, cheio de bombas nucleares, rumo a Mustafar, ponto de controle da Primeira Ordem.
Com a decisão tomada em Telos, Starkiller procura Shom-Ron Sunrider, antes da partida, para saber se ele estava bem, depois de quase morrer. Shom-Ron, que foi tratado por Mestre Belandi e pela recém-proclamada cavaleira Jedi Adália, em gratidão, oferece analisar a armadura de Starkiller e percebe que seria difícil conseguir melhorias nela, embora pudesse tentar produzir uma igual, com unorbtânium.
Ao entrar em contato com Lando Calrisian a respeito de Mustafar, Starkiller recebe instruções para um novo contato com ele, que dava a entender que havia mais em jogo do que ele imaginava. Com tal situação em mente, o clone de Galen Marek informa Shom-Ron, Belandi e Adália e pede a companhia deles e da Ordem Jedi para retornar com vida da explosão do Star Destroyer em Mustafar. Eles entram em contato com o Enclave Jedi. Shom-Ron solicita autorização para ir, a presença de Sarenda e o uso dos Cavaleiros de Ferro e Kanan Jarrus concorda em enviá-los, junto de Drakul, os padawans deles e Tarast, pedindo que voltem depressa.
Duas naves partem dentro do Star Destroyer, junto de várias bombas nucleares, suficientes para arrasar um planeta pequeno.

Missões dentro da missão

Durante a viagem, Tarast informa Shom-Ron que há uma missão dentro da missão. Ao invés de apenas explodirem a Primeira Ordem e saírem, ele diz que a Ordem Jedi quer libertar os relatos que ele descobriu sobre os centros imperiais ainda estarem ativos sob o controle da Ordem, com crianças prisioneiras sendo treinadas para futuros inquisidores Ren. Se possível, resgatar as crianças e impedir que morressem nas explosões.
Em negociações com Lando Calrisian, Starkiller descobre o preço de Lando pelo resgate: um baú perdido anos atrás, de uma nave particular do falecido imperador Palpatine. Lando também oferece recursos pela morte de um concorrente ex-separatista, Dean Dellson e pela captura de patentes antigas das empresas Mensix Corp, de Mustafar.
Informações dentro do Star Destroyer são trocadas e um plano é traçado por Shom-Ron: um vírus de looping de informações. Embora não pudessem acessar os sistemas e códigos do Star Destroyer, o vírus atuava com a comunicação iniciada, de modo a quem iniciasse o contato recebesse as informações que possuía armazenadas em seu próprio sistema, como uma réplica que mascarava o sistema.
A viagem prossegue com todos ocupados entre si e se dividindo para embarcarem nas naves menores e abandonar o navio rumo à destruição.

Explosão Galática

Contato estabelecido e vírus em posta, Starkiller usa-se de seus poderes ilusórios e suporte de Shom-Ron em sua armadura Stormtrooper, para conseguir um pouso no hangar da Primeira Ordem em busca de reparos, usando-se do nome de Dean Dellson, do qual tentaram esquivar.
Tarast percebe a presença de uma nave Ren no hangar e Noob prevê que, se demorarem, haverá um problema. Divididos, eles partem urgente em suas naves e lançam o Star Destroyer, confiando na surpresa. O impacto de todas as armas nucleares adentra Mustafar e inicia um colapso de lava junto com as inúmeras explosões nucleares que se seguem. Com habilidade, Noob e Jao retiram as naves do alcance dos cogumelos e da chuva radiativa, além das erupções cataclísmicas iniciadas no planeta de magma. A Primeira Ordem presente e todas as cidades no arco de Mustafar Norte e um pedaço do centro de encontro norte-sul são vaporizadas de imediato. Os demais efeitos nucleares se iniciam, enquanto as naves correm em desespero aos pontos isolados que precisam ir.
Seguindo as coordenadas do baú que garantiria uma retirada, as naves encontram uma pequena plataforma de metal aparentemente flutuando nos rios de lava, protegida por um membro da guarda pessoal do imperador.
Shom-Ron decide a abordagem pacífica, seguido por Drakul e um relutante Starkiller, enquanto Tarast pede que ele e os demais possam ir atrás das crianças antes que o planeta colapse completamente ou que a chuva radiativa chegue até elas.
Ao vencer o que parecia ser a armadura animada, sozinha, os três encontram uma passagem para cavernas no interior do planeta, superaquecidas pelo revolver do magma da superfície, para encontrar um bunker secreto do falecido Imperador Palpatine, aberto por Starkiller. Em seu interior, pertences de Darth Sidius, entre eles, o tão procurado baú e algo mais.

Dilema cósmico

Assim que aqueles sensitivos mais ligados à Força Vivente penetram no bunker, vozes os chamam, clamando por ajuda, ecoando do baú. Nele, um talismã de alquimia sith e uma adaga ritualística da raça ancestral. Já Shom-Ron, mais voltado à Força Cósmica, se direciona a um estranho cubo que, em seus estudos de relíquias pelo templo Jedi, reconhece como o Cubo de Chun-Gon Dar.
Criado pelo Mestre Jedi de mesmo nome, eras atrás, o cubo é capaz de realizar qualquer coisa, literalmente alterando a realidade através da Força. A seu possuidor, não há limites. Exceto a responsabilidade moral por seus atos…
Enquanto um dilema e conclusões a respeito da presença do cubo surgem, Drakul é possuído pelo talismã e inicia um ataque mental contra Starkiller e Shom-Ron. A situação segue até Drakul resistir ao poder e quebrar o amuleto, enquanto Shom-Ron cumpre parte de seu destino, destruindo o cubo, corrompido e usado por Darth Sidius. A explosão revela que era o cubo que ainda mantinha o bunker e Mustafar estável. Com sua destruição e com o cataclisma das bombas nucleares em andamento, a situação do planeta se agrava e, usando-se do portal criado por Shom-Ron, eles voltam a Telos. Conforme indicado pelo conselho, um Cavaleiro de Ferro foi capaz de resistir ao uso do portal sem danos, por não possuir um corpo físico real, garantindo assim o uso constante do portal.

Trapaceando o Trapaceiro

Uma vez distantes dos demais, os comunicadores tocam com a impressão de possível morte. Os cavaleiros e padawans em missão, assustados, ouvem sobre Telos e informam que estão ainda no planeta, em resgate das crianças, sofrendo uma perseguição.
Em um ato de coragem, o portal é reaberto e Drakul, Shom-Ron e Starkiller penetram no que parecem ser instalações em choque, com lava e chuva cáustica do lado de fora, com crianças sofrendo queimaduras e o esforço máximo de Tarast, Sarenda, Adália, Jao, Nina e Noob em salvar cerca de vinte e seis infantes. Os três assumem a defesa da fuga, contra ninguém menos que o Cavaleiro de Ren apenas conhecido ainda como Rogue.
Drakul bloqueia um uso da Força do mesmo e é arremessado para dentro do portal. Curioso, Rogue se aproxima e é vítima de ilusões de Starkiller e de arremesso de sabre de luz por Shom-Ron, que o faz desaparecer. Shom-Ron prevê a ação dele e assim consegue desferir um golpe surpresa, que o faz recuar. Starkiller reforça o recuo, enquanto Drakul recebe e começa a curar, com Belandi, os feridos. Assim que todos passam, o portal é fechado, antes de Rogue ter a chance de examiná-lo e garantindo a fuga de todos.

Ajuste de contas

Com comandos automáticos, ambas as naves são chamadas de volta para Telos, enquanto Starkiller, de posse do baú, percebe que se tratam das riquezas pessoais do falecido Imperador Palpatine. Embora ele deixe uma parte para Lando Calrisian, ele divide outra com os dois cavaleiros Jedi e uma para com a República, tomando a maior parte do valor e todas as contas paradas, para si. A Ordem Jedi recebe as notícias dos jovens e das crianças e, no escuro, a Primeira Ordem segue com sua segunda derrota pesada na Orla Exterior, marcando um período de Nova Esperança para as áreas remotas da Galáxia.

Comments

julio_philosofo victor_ops

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.