Edge of Empire: New Dawn of the Republic

Guerra Ritual

O canto do Sultão Demônio

Depois do retorno de Shom-Rom de Nar Shardda, uma reunião que seria para comemorar a nova nomeação do Cavaleiro Drakul para o título de Mestre é interrompida por uma estranha notícia. Ao que parece a prisioneira de Guerra Rillao Hethrir havia sido transferida para justamente a capital dessa cidade há algumas semanas sobre custódia onde ela conseguiria o julgamento pela Primeira Ordem em Kintan.

A dupla cidadania tanto dela quanto do marido foi conseguida no período em que havia um acordo de paz antes do ataque da Starkiller, o que favoreceu o esquema dela de postergar seu julgamento.

Uma revolta começou em Nar Shadda com o anúncio da adesão do planeta a primeira Ordem, o que deixou os Senadores em um debate frenético e a pensaram em pedir ao Embaixador para amenizar a situação, de imediato Dawins alegou que nenhum apelo de reconhecimento da legitimidade da Primeira Ordem deveria ser feito e os políticos não chegaram a comentar o nível do problema para não dar mais destaque à Niek, o líder da revolução Nikto e tentar resolver isso por via da República.

Depois de um longo debate decidiram que prisioneira deveria ir para Onderon, onde de lá ficaria decidido o seu destino. Para isso estabelecem uma rota de fuga, prevista por Comenor Adama como a mais segura possível, nessa mesma visão ele vê Rashir nesse planeta conversando com um influente Hut sobre ele poder ressuscitar o Sol deles.

O Chamado de Waru-Pomojema

Depois de um longo debate e da rápida nomeação de Shom-Rom para iniciar-se como explorador e de Drakul como mestre e a visão de Rashir. O mestre contra as artes da Trevas Comenor decide entrar em contato com a joia trazida para o Enclave, tendo que várias partes dela são usadas em sabres de luz como troféus, Comenor Adamo se vê face a face com a entidade por trás dos poderes da joia. Ele transfere a comunhão com o ser para Dawis e em seguida para os dois outros Jedi: Shom-Rom e Drakul.

A medonha entidade trás desconforto e medo a todos, que resistem por sua disciplina com a força, ao ponto de Shorom e Drakul sequer se considerarem falando com ele. Drakul é o que menos sente tal medo.

Em meio à uma estranha indiferença, a entidade volta-se para eles e explica alguns detalhes de sua libertação dizendo que Rashir iria acender o Coração de Deus, depois de ter ascendido M’dweshuu. Ambos são o irmão e pai de Waru-Pomojema, coisa que ele não explica profundamente, ele fala sobre o quanto todos ali lhe são insignificantes e Dawis afirma que mesmo assim irão detê-lo. Seu semblante não muda em nada, apenas fica feliz que os cristais onde ele habita ainda são usados pelos Jedi.

Depois da comunicação com a divindade, o cristal perde o poder.

A Rebelião dos Nikto

Dawis entra em contato com Niek e todos que estão com ele escutam ele dizer que Rashir é o responsável, uma revolta geral começa. Nesse momento Niktos avisam seus aliados, parentes e amigos em Kitan, que começam uma revolta contra o templo onde Rashir e algumas três bruxas de Dantomir ficam temporariamente cercadas. Nesse momento um pequeno grupo de Stormtroopers entra em escolta de Lord Hethrir que lhe dá cobertura para escapar e ir terminar seu ritual no final da Rota da Morte.

Niek com apoio do Sindicato Pike esta à frente da revogação do acordo milenar que faz de sua espécie e da dos Klatooinians e Vodrans escravos dos Hut. Através da religião solar de seu planeta, acordos entre trabalhadores rebeldes e libertados além mercenários ele organizou uma revolta cuja origem não esta ainda muito clara. Ao que parece a revolta exige também a adesão à República ou autonomia, mas de forma alguma aceitação dos interesses escusos do Império.

Os pedidos de apoio aos Jedi em união com a revolta iniciada são bem acolhidos por Dawis, que enquanto vai para Nar Sharda medita e seu aluno começa a ler um livro de rituais para ver identifica o que esta acontecendo sob o competente leme de Harl Adamo. Enquanto eles decidem pela estratégia de dividir o grupo em dois dirigindo um para falar com um Hut parente de Hero em Nar Shardda e outro vai diretamente para Kintan, onde Rillao Hethrir iria ser julgada.

Roth, the Hut

Roth, o primo de Heero via na República uma chance de ter mais lucros do que com a primeira Ordem e é convencido disso ainda mais quando Harl e Dawis lhe explicam as vantagens econômicas de “alugar pessoas”, como ele chama.

Eles ainda explicam sobre revenda, troca e tantas outras coisas sobre as quais ele poderia lutar e o Hutt se compromete a defender tal ideia entre outros Hutt.

A Batalha do espírito

Superando as limitações entre o tempo e espaço impostas aos alheios a força, Comenor tenta interromper o ritual de dentro da nave enquanto seu mestre e seu irmão conversam com o Hutt. Ao se lembram de como Shom-Rom purificou a filha de Telos ele decide fazer o mesmo com a mãe, se usando também do cristal de seu próprio sabre como foco e de muito do conhecimento sobre alquimia Sith que ele traduziu para alcança-la, tal ato é bastante intenso porém a Força o acompanha. Ele realmente avança em direção bastante controversa, rompendo correntes sombrias que a prendia e a libertando para Força.

  • Enquanto isso*

Shom-Rom e Drakul assumem a velha parceria em um ataque frontal contra as forças da Primeira Ordem, a batalha dura algum tempo e são ajudados diretamente por uma revolta de toda população de Niktos que parecem inspirador por Niek que alertou e espalhou sobre a traição de Rashir e sua parceria com membros da Primeira Ordem.

Em meio a destruição da guerra, Lord Hethrir espera paciente no templo enquanto conversa com seu Deus. A dupla de guerreiros enfrenta a juventude imperial, uma tropa de jovens aprendizes recém chamados para treinar na escola de Hethrir.

A tropa é liderada por Desan e sua aprendiz. Eles são derrotados facilmente na investida dos Jedi até o templo.

Comenor Adama ao salvar a entidade tem por revelação o local onde se encontra Rashir e seu ritual, ele desmaia sendo amparado por Dawis para que algo pior não aconteça. Harl Adama então pilota pela rota que ele viu e passou para eles pelo Caminho da Morte de forma impensada e rápida indo de encontro ao núcleo da Estação Espacial e atacando com todas as armas possíveis.

Dawis até tenta amenizar os danos, mas é impossível, dezenas (se não centenas) de vidas são ceifadas, tanto com os ataques diretos quanto com a destruição dos escombros que caem sobre a estação. Vários soldados de Rashir, as bruxas de Danthomir, escravos, engenheiros e turistas desavisados morrem sem que nada possa ser feito, o lugar vira uma carnificina e Rashir acuado foge para um bunker abaixo do templo de Waru-Pomojema.

Dawis tentando poupar pelo menos a vida de Rashir e Adamo concordando com isso o deixa descer, ele é acompanhado por Cade Warner.

A Revolução de Kintan

Shom-Rom e Drakul invadem a Igreja depois de saberem que são esperados por Lord Hethrir, ao ver a calma do Dark Jedi Shom-Rom passa a achar que o mestre deles é quem vai ser sacrificado.

Através de uma manobra ousada apoiada pelo Destino e de uma previsão da Força eles rapidamente derrotam o Lorde. Alguns Troopers são mortos pelos seus próprios disparos refletidos pela habilidade de Shor-Rom, enquanto o Jedi sombrio tem suas mãos decepadas pelas espadas de Drakull. Ele até pensa em cura-lo, mas se lembra que ele é capaz de regenerar. Ao sair Shor-Rom liga para seu mestre em um momento inoportuno para esse falar com o líder dos Nikto.

Morte em Família

Depois de um ataque devastador Dawis e seu primeiro padawan chegam ate a um túnel, onde sentem a presença de Rashir. Esse aproveita a ligação de Shor-Rom e ataca Dawis, quase o pegando de surpresa, Cade fica nas costas do Zaltron aguardando a ordem de seu mestre para atacar.

Enquanto se defende da fúria fanática de Rashir, Dawis ainda com pequenos gestos coordena que Cade não ataque, que espere. Shor-rom, baseado no que foi falado sobre o ritual de poder dos sóis, acredita que o ser puro a ser sacrificado pela adaga seria o próprio Dawis.

Em meio a batalha, Dawis desarma várias vezes Rashir e em uma delas, Cade tenta pegar a adaga por um comando do Miraluka, porém na disputa sobre quem segurava a arma o Zeltron segura a arma mais forte e perfura o garoto no meio do diafragma, que acaba falecendo ali.

Em seguida Rashir tenta se matar, desesperadamente, ao que parece era seu plano desde o início.

Consumido por uma imensa culpa , que quase se transforma em fúria, Dawis ataca e tenta vencer lutando contra seus instintos para não matar Rashir. Ele vence o criminoso e chega a seu aluno que ainda se despede dele dizendo que sente que cumpriu seu papel. O paragorn tenta anima-lo e dizer que ainda não é hora, porém é tarde demais para isso…

Epílogo

-Rillao e Lord Hethrir são levados para Orderon, até que todos procedimentos sobre seu julgamento possam ser resolvidos e esse iniciado.

-Harl Adama leva sob custódia Rashir para Orderon onde será julgado pelo próprio povo de Telos. Iniciando todos preparativos para que esse julgamento seja de quem mais foi prejudicado pelas ações do Zaltron.

-Dawis recebe de Comenor um manto Jedi para cobrir o corpo do garoto. Durante o funeral vários Jedi em simbolo colocam seus mantos sobre ele. Mais tarde ao enterrar o corpo do rapaz na tumba de Naga Sadow

-Shor-Rom prepara sua viagem de exploração atrás do Vale Jedi

-Comenor torna mais íntima sua ligação com Telos.

-Os Niktos se libertam da influência dos Hutt e prometem negociar uma aliança com a República.

-Uma pequena e fraca chama começa a se ascender dentro do Coração de Deus no território Hutt.

Comments

julio_philosofo Starkiller

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.