Edge of Empire: New Dawn of the Republic

Experimentando Conexões

Nexos

Um olhar sobre o ontem

Durante os momentos que antecederam aos iniciais do Atentado à Ordem Jedi, Harl Adama compareceu ao Enclave, para ver seu irmão, Comenor Adama, ao receber o chamado para ajudar na evacuação após a visão de Shom-Ron.
Durante sua estadia, Harl viu Starkiller e um outro homem de robe, indistinguível, mas considerou algo normal, ao ver os Jedi com robes e Starkiller ser um deles.
Os eventos do ataque ocorreram simultaneamente ao hackeamento dos dados, aparentemente encomendados pelo Rakata que foi deixado em estudos, revelaram-se maiores do que antes expostos.
Segundo os dados, uma influência havia também enganado mais sinais.
Enquanto toda a confusão acontecia, algo mais sinistro, envolvendo outro membro da Ordem Jedi, se desenrolava.
Antes do começo das explosões, Comenor Adama, em meditação junto à Árvore Nahiri, buscando conhecimento e equilíbrio de suas emoções, ficou em colapso cosntante, quase como um ataque epilético, sem ser notado, devido aos eventos.
As batalhas decorreram em solo e nos céus, como Harl Adama viria a relatar posteriormente, evitando que mais tropas entrassem no solo de Dantooine.
Quando a confusão acabou com a partida de Dawis e depois com a busca de Shom-Ron e Drakul, Harl Adama trouxe as pessoas de volta, evacuadas, após ter derrubado algumas naves menores dos lordes que serviam a Waru-Pomojema, na verdade, enganados e manipulados.Ao retornarem, Dawis, Shom-Ron e os demais Jedi notaram a falta de Anki’Nar, quando encontram Comenor, em seu estado crítico.
Levado até a enfermaria, aos cuiddos de Drakul, Comenor parecia envolto em uma proteção criada através da Força, que exigiu investigação dos envolvidos sobre o ocorrido. Curiosamente, o último lugar em que Shom-Ron encontrou Anki’Nar foi na árvore Nahiri, no templo.Ao pesquisarem mais a respeito, vem a revelação da presença de Mesa Bek, dentro do templo, acompanhado de um diferente Starkiller, que se uniram a Anki’Nar em uma busca e apreensão de alguns artefatos sith contidos no Enclave, em salas secretas e que suprimem a Força, como o holocron de Naga Sadow e o sabre de luz de Palpatine. Nos vídeos, fica claro o ataque deles contra Comenor, que protegia um livro de alquimia sith, ainda confiado a ele para codificação de modo que outros não compreendessem e enlouquecessem com seu uso. As imagens mostravam a revelação de que Anki’Nar era um bruxo Vos infiltado entre a Ordem Jedi desde o começo e que a “visão” de Jolee Bindo tratava-se de ilusão.

Situação entre irmãos

Assim que recebeu as notícias sobre o ocorrido com Comenor, Harl Adama retornou para Dantooine, mas com uma surpresa.A bordo da Battlestar Galática, o corpo encontrado da irmã miraluka de Dawis, Deena Danthar, inconsciente, após ser resgatada, segundo Harl, do interior do planeta, na forma de um Rakghul.
Ambos, Deena e Comenor, foram colocados na enfermaria, enquanto Dawis e Harl tentavam compreender a situação de seus entes queridos. Uma sondagem mental revelava que Deena estava bem e um pedido sobre um planeta nas regiões desconhecidas. Como tal informação veio a ela, ou o que ela vivenciou enquanto em Telos, são perguntas sem respostas ainda.
Durante o tempo em que Dawis e Harl se preocupavam com seus familiares, Shom-Ron decidiu voltar-se para meditar na árvore Nahiri. Ao fazê-lo, uma nova visão de Foresee o revelava sobre criaturas da Força, compostas de pura energia, como a menina vista em Telos, além de uma sucesso de eventos envolvendo o retorno de possíveis grandes males.
Entretanto, investigar a Força acionam armadilhas, deixadas por Jar Jar Binks, durante o tempo em que se passava pelo Senador Mesa Bek, inclusive na árvore Nahiri, que quase é destruída. Em contato com a consciência da própria árvore, nossos heróis conseguem bloquear a influência maligna usando dois cristais presentes nos pertences de Comenor, como receptáculos, para depois deixar a árvore aos cuidados de cura da Ordem.
Ainda, Harl e Dawis conversam com Antares Draco, sobre sua situação, trazendo finalmente a ele a proposta de treinamento para ser o defensor de Onderon, Destino que lhe é de direito. Antares o aceita com prontidão, após uma longa conversa sobre os ideais de sua honra e sua casa.Mariah, irmã de Antares, entrega uma mensagem de socorro captada em algum lugar de Ventooine, na rota das regiões desconhecidas a partir de Telos.
Apresentando as questões sobre o planeta, além das semelhanças das visões e criaturas, Harl Adama solicita apoio Jedi, que de bom grado é atendido, pois o interesse da Ordem existia pelo antigo templo Jedi em Telos. Para ele, Belinda, cavaleira Jedi, é enviada para Telos, na companhia de Kathracite, Cavaleiro de Ferro, na esperança de proteger e começar uma restauração do templo Jedi.
Retornando à consciência momentaneamente, Comenor Adama comenta sobre os itens levados poderem ser parte de um ritual, mas que Mesa Bek havia ignorado ele, embora quisesse seu livro de alquimias para o mesmo fim. Conferindo os vídeos uma segunda vez, é possível ver o jovem Starkiller diferente retirar um cristal kyber branco do Enclave, aparentemente para uso pessoal.
Comenor e Deena são deixados aos cuidados de Drakul e Vex, junto dos demais feridos, ainda em recuperação, que segue rápida, auxiliada pela presença do artefato da Força curativo, o Cristal Kaiburr, trazido da estátua do Pomojema.

O interior da trama

Com uma passagem por Telos, os personagens detectam a saída das naves contendo algo misterioso, que provavelmente coincide com o bebê da Força visto por Shom-Ron. Cientes da rota para Ventooine, o grupo, que apenas passava por Telos para abastecer a Galática ao máximo e levar naves reservas, como aconselhado por Comenor por sua visão oracular, parte para Ventooine.
Disputado no passado tanto por Jedi quanto por Sith, quanto por mineiradores em busca de soluções alternativas de poderio bélico, devido à gigantesca concentração de cristais kyber, antes também explorados pelos depostos monarcas Satabs, mortos por Han Solo em suas viagens passadas, Ventooine abrigava grande quantia de naves, tentando correr pela vantagem dos recursos.
Entre tais naves, o grupo se divide, para tentar encontrar novamente e seguir o contêiner onde está a menina bebê retirada de Telos, como mostrava a visão de Shom-Ron. Enquanto Shom-Ron segue ao atracadouro de Ventooine, Dawis e Harl Adama seguem atrás de outra nave possível, rumo ao desconhecido.
Em sua perseguição, Shom-Ron percebe a presença de mais um Starkiller, reforçando que há mais clones de Galen Marek. Ele tenta entrar em contato com Dawis e Harl, apenas para perceber que eles estão longe do seu alcance. Prosseguindo solitário, o cavaleiro Jedi de Dantooine encontra-se em uma infiltração dentro de uma nave maior, que parte rumo a um destino desconhecido no hiper-espaço, mas não antes que ele possa perceber a presença da bebê na nave. Ciente disso, Shom-Ron assume a responsabilidade por ela e penetra cada vez mais fundo, apenas para perceber que estava completamente cercado por Darth Maul, um jovem Starkiller e um distorcido e quase irreconhecível Anki’Nar, de posse da Espada Negra de Saga Sadow e de um poderoso cajado sith, capaz de conduzir terríveis energias do Lado Negro da Força.
Em uma rota diferente, Harl e Dawis, a bordo da Phantom, continuam a perseguição atrás da direção possível da nave, até as regiões desconhecidas, encontrando várias singularidades que pareciam encobrir o caminho, de modo falso, para o verdadeiro ponto onde o contêiner era levado, um misterioso planeta com incrível energia vivente. Todavia, em sua superfície, uma guerra gigantesca acontece, tornando a nave um alvo de tiros diversos. Igualmente, rompantes parecem suprimir momentaneamente a presença da Força em todo o lugar e potencializar suas ações em determinados picos de elevação.
Usando-se de suas habilidades como Mestre no estilo Soresu, SHom-Ron supera seus adversários com uma defesa praticamente impenetrável, impedindo que seus ataques lhe causem mal e alcança a câmara de contenção da bebê, sendo trancafiado com ela pelos adversários, entre cristais embaralhadores do uso da Força, apenas para descobrir que, como na visão, ela morria corrompida, aos poucos. Ciente que o processo era similar ao ocorrido em Dantooine com a árvore Nahiri, Shom-Ron sacrifica seu cristal kyber dantari para usar como conduíte para absorver as energias malignas que permeavam a criança da Força. Ao conseguir ajudá-la, ela o assume como aliado, à medida que conta procurar por sua avó, fala da morte de sua mãe nas mãos de Rashir e de seu pai, ainda no interior de Telos. A nave dos inimigos segue sua viagem até um planeta desconhecido, cercado por uma verdadeira zona de guerra, que torna a nave alvo de disparos e obriga Shom-Ron e a menina a saltarem em uma cápsula de fuga.

Seja aberta a caixa

Em uma manobra arriscada, Harl Adama coloca sua nave emparelhada com a nave que pertencia a Darth Maul, sem saber disso, conseguindo um pouso adequado para a situação. No solo do misterioso planeta, que não consta nos mapas galáticos, humanóides azuis gigantescos e aparentemente primitivos lutam com membros das forças que parecem servir aos sith, viajando em naves desconhecidas, naves mandalorianas renegadas, naves do antigo império sith de Palpatine e naves sem identificação.
Na saída da nave, Dawis, em um dos momentos de elevação da Força, percebe que o contêiner que seguem traz o misterioso Jedi aprisionado, em seu pedido de socorro. Ele parte para tentar salvar o mesmo, enquanto SHom-Ron avisa estar com a jovem, com as comunicações de curto alcance restauradas, pelas proximidades. Harl Adama transmite códigos morse, após muitas dificuldades em comunicação, para alcançar sua nave e pedir ajuda.
Igualmente, Dawis recebe uma transmissão de Hula Cavula, que o deixa mais que emocionado, embora controle suas expressões e mantenha seu foco em tentar salvar o prisioneiro Jedi.
Vislumbrando Anki’Nar em solo, Harl Adama começa uma ofensiva pesada contra o agressor de seu irmão e traidor infiltrado, com disparos pesados que o vilão evita de maneira sagás, abrindo espaço para que Harl, com a nave danificada, a sacrifique para tentar, em vão, derrubar seu oponente. Uma perseguição se inicia, com Harl Adama disparando contra o ferido e aparentemente acuado Anki’Nar, que tenta unir forças com mais protetores presentes entre os seus aliados malignos no solo do planeta.
Shom-Ron e a menina entram em contato com montanhas flutuantes no mundo misterioso, que parecem fazer parte do todo. Nelas, o chão começa a querer engolir a criança, que em determinado momento, desiste de sua vida para se unir à Força. Contudo, Shom-Ron não desiste dela e, usando-se de um segredo da Força que aprendera em Ahch-To em seu treinamento, bloqueia a energia da jovem e a puxa do aparente aprisionamento, salvando-a da emoção de desespero que transpassava, rumo ao solo do misterioso mundo. Ela então lembra-se que poderia ser sua avó e pede para que Shom-Ron a acompanhe e a proteja, iniciando assim uma exótica e mística jornada rumo ao centro do mundo.
No contêiner, Dawis acompanha pequenos transportes que parecem levar recursos do planeta, roubados pelos malignos invasores. Ele é atingido por uma flecha aleatória envenenada, mas resiste através de seu contato com a Força, nos momentos em que esta se mostra presente, enquanto se esforça para memorizar o que percebia nos momentos sem sua cegueira natural. Finalmente, ele encontra o contêiner, cercado por dois diferentes Starkillers, sobre uma montanha, junto de alguns Zabrak.
No interior do mundo novo, Shom-Ron encontra uma bela mulher, adulta, mas feita de pura energia, como a jovem que ele traz consigo. Ela explica a ele que o mundo deles vem sendo atacado por vários humanóides, alguns que sequer são deste universo ou galáxia, em busca de recursos como o poderoso metal composto pela Força, chamado Unobtainium. As explicações rudimentares sobre quem são, do que são feitas e como a avó pode ser a única capaz de ajudar a neta deixam claro a Shom-Ron a escolha certa em defender a menina. A criatura da Força entrega ao cavaleiro Jedi de Dantooine um cristal imbuído com a Força, através do Unobtainium, revelando propriedades únicas no metal, mesmo quando em contato com outras formas. Para ganhar tempo e impedir que os inimigos realizem o que desejam, que, percebido e entendido finalmente por Shom-Ron, é nada menos que reviver Naga Sadow, Palpatine e um antigo Jedi, que no passado, causou infortúnios a Naga Sadow. Os motivos ainda são incertos.
O planeta se abre para permitir a saída de Shom-Ron, ao mesmo tempo que o contêiner do velho Jedi é aberto por um idoso extremamente parecido com Starkiller, revelando em seu interior um cativo e torturado Kanan Jarrus.

Liberação

Shom-Ron protege um humano que se alia a ele, que defendia o planeta misterioso, dizendo-se ser “americano”. O homem, posteriormente, viria a contar uma história sobre uma Caravana de Coragem que lidava com pequenos ursos Ewokies e lamentava a morte de sua família. Ele ajuda Shom-Ron a entender que os vilões tem explorado o metal para tentar levar para fora do planeta, depois que todos os humanos que o invadiram foram dizimados ou se uniram à população nativa, literalmente se transformando na raça que chamam “Navi”.
Harl Adama encontra Anki’Nar, desta vez protegido por cinco usuários da Força, prontos a dar suas vidas para que ele termine.
Dawis e Kanan iniciam uma conversa após sua libertação, sem muito espaço para laços ditos, uma vez que um zabrak e um controlado idoso similar ao Starkiller partem para cima dos dois.
Shom-Ron parte para cima de um dos pontos que ele acredita ser central de um dos rituais, deixando o “americano” para trás.
Quando a situação parecia que se tornaria num inferno real, as naves de Hula Cavula, unidas às naves de Harl Adama e tropas de Solomon Calamari adentram o planeta misterioso, com coordenadas obtidas a partir das tentativas de comunicação, trazendo consigo dez Cavaleiros de Ferro, liderados por Proxy, além de padawans autorizados por seus mestres feridos Dao e Pon Edestus.
Unidos, os heróis e seus aliados se espalham para deter as invocações sith ao custo de sacrifícios de vidas inocentes e se utilizando do Nexo vivo de poder presente no mundo, chamado Pandora por seus habitantes.
Com muito esforço, em frentes de batalha distintas, cada um dos quatro pontos afetados – o centro do ritual, onde Anki’Nar usava-se de energias malignas do cajado de Naga Sadow para que os pontos fossem alcançados e o dono da Espada inteligente com ele retornasse, combatido por um enfurecido Harl Adama, cujos épicos disparos deram cabo da vida do traidor, depois de muito esforço, além dos três pontos: sobre a montanha flutuante, onde Naga Sadow ressurgiria, abaixo da montanha, onde Palpatine ressurgiria, e mais ao leste do ponto de parada das naves, onde o Jedi ressurgiria.
Confrontos maiores do que meras palavras se seguiram, dos quais os resultados foram a morte de muitos inocentes, mas o impedimento da ressurreição de Palpatine, que dependia da essência dos clones Starkiller, aparentemente ligadas ao antigo e falecido imperador. Contudo, a ressurreição de Naga Sadow aconteceu, de maneira bem diferente da prevista e, sem Anki’Nar vivo e com Darth Maul em fuga, após uma batalha contra Shom-Ron, revela-se como algo misterioso, já que o possível vilão não é encontrado. O mesmo acontece com o Jedi que Naga Sadow queria invocar, aparentemente com sucesso, mas sem sinais ou rastros.
Em miúdas, os heróis descobrem que o plano o tempo todo era influência do espírito de Naga Sadow, que seria revivido a partir da essência depositada em seu holocron, para absorver o poder de Palpatine ressurreto, enganando seus seguidores ainda vivos, para finalmente torturar o Jedi e, após o destruir ou corromper, drenar suas energias e voltar sua atenção para a Galáxia.
O mal de Naga Sadow permanece, pairando no ar.

Sementes de um futuro melhor

Com o fim da ameaça ao planeta, Oyá, nome da entidade feminina da Força, libera uma jovem adulta, pronta para retornar a Telos.
Dawis replanta, com um pouco de sacrifício, a maior árvore Nahiri que já viu antes, cujo segredo do crescimento é revelado ser o Unobtainium.
O velho Starkiller se revela ser irmão de Garen Malek, vivo desde o tempo do império, com sua família cativa em Balmorra. Ele insiste por ajuda para uma suicida invasão ao planeta, que não pode ser prometida. Assim, ele segue seu caminho sozinho pelo espaço, retomando posse de seus itens. Todos os artefatos Sith e Jedi deixados nos contêiners são recuperados, como os cristais embaralhadores, e levados para Dantooine.
O americano decide voltar com os heróis para Dantooine, enquanto que todos os demais encontrados, ao todo, seis, vivos em três naves estranhas na órbita do planeta, são conduzidos para Telos, onde auxiliarão a reconstrução do mundo. Oyá cede a todos os recursos que foram roubados dela, retirados, além de ceder uma quantia considerável de Unobtainium a Shom-Ron, em agredecimento pela proteção d sua neta.
Alguns Navi decidem voltar para Dantooine, onde plantarão uma muda da mesma árvore Nahiri e de seus frutos, que parecem brilhar no escuro, numa das partes do planeta. Um deles, sensitivo, foi acolhido na Ordem Jedi.
Nenhum clone Starkiller sobreviveu.
Os pedaços do cajado que pertencia a Anki’Nar foram divididos entre a Ordem Jedi e Harl Adama, para futuras pesquisas.
Ao chegar em Telos, a jovem se une novamente ao núcleo do planeta, levando consigo um cristal kyber do mundo de Oyá, chamado em comum pelo nome “Pandora”, para tentar curar seu pai, moribundo.
Vários pequenos cavaleiros de Ferro são condecorados e Dawis faz um imenso pedido de desculpas a todos, ao compará-los com mais prontos a ferimentos que os seres de carne macia, uma vez que seus corpos podem ser reconstruídos e possuem dureza maior, para que entendam que isso é uma vantagem, não um preconceito e que são vistos como iguais. Ele entrega a todos o suficiente para novos reparos.
Harl Adama entra em contato com os Ithorianos, para que retornem para Telos, assim como com os Onderonianos, para repovoar o planeta, tanto com fauna quanto com as pessoas evacuadas. Assim que a jovem penetra no subsolo, o planeta começa a se restruturar novamente.
O encontro familiar de Hula Cavula e Dawis os emociona e parece novamente formar uma aliança duradoura e a visão de uma projeção de Meetra Surik fora de seu holocron, auxiliada por Comenor e Solomon Calamari, se faz presente e insiste em conversar somente com Hula.
A espada de Naga Sadow some, flutuando pelo espaço, talvez segura pelo próprio lorde sith do passado. O jedi revivido não se revela.
Quase enlouquecido pelo seu cativeiro, Kanan Jarrus inicia sua própria reabilitação. Pelo tempo em que esteve preso e torturado pelos seguidores do Império, ele desenvolveu pela Força a habilidade de cura, que lhe restaurou a visão e permitiu que ele suportasse e regenerasse as feridas e sofrimento que lhe foram impostos. Ele se une ao Enclave Jedi, notícia que faz com que Ahsoka Tano retorne de seu auto-exílio por se questionar sobre o que foi feito a Starkiller.
Ao retornarem, Comenor Adama é indicado para os testes de Cavaleiro, Shom-Ron apanha o Unobtainium e se prepara para uma viagem de retiro para um lugar especial, nas forjas de Ahch-To. Harl Adama retorna para Telos, para acompanhar a reconstrução do planeta que adotou, enquanto Dawis entra em contato com Luke, depois de um Chamado da Força e se prepara para uma viagem desconhecida, rumo ao seu Destino, deixando sua inconsciente irmã para trás.

(Aventura narrada magistralmente por Dib Badauy, nosso Comenor Adama)

Comments

Não e para tanto.

Experimentando Conexões
julio_philosofo victor_ops

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.